Todo apoio ao levante dos trabalhadores bolivianos contra o imperialismo

Declaração da Liga Internacional dos Trabalhadores (LIT-QI) – 15/10/2003

Todo apoio ao levante dos trabalhadores bolivianos contra o imperialismo e seus agentes assassinos

Mais uma vez a classe operária e o povo boliviano mostram o caminho aos seus irmãos latino-americanos. A heróica luta dos trabalhadores e camponeses bolivianos para impedir o governo do agente do imperialismo, Goni Lozada, de entregar o gás para as empresas norte-americanas a preço vil, levou a uma insurreição que polariza todo o país. O gás boliviano é a segunda reserva do mundo e os saqueadores imperialistas e seus asseclas nacionais – que vêm aplicando impiedosamente o neoliberalismo, que privatizaram todas as principais empresas, que já roubaram a prata e o estanho do país – pensavam em completar o roubo sem reação popular. No entanto, os trabalhadores e o povo boliviano perderam a paciência e partiram para o enfrentamento.

Primeiro os camponeses de Altiplano paralisaram as estradas de sua região e enfrentaram a repressão governamental em Warisata, onde foram mortos pelo menos 5 pessoas. A partir de 29 de setembro, os trabalhadores, convocados pela Central Operária Boliviana (COB), começaram uma greve geral com bloqueio de estradas, que tinha (além da defesa do gás) o objetivo explícito de derrubar o governo fantoche do imperialismo. Este processo se estendeu, cercando a capital e, em particular, paralisou totalmente a cidade de El Alto.

A esse verdadeiro levante nacional, o regime de Goni, do MNR e do MIR, respondeu com a repressão militar usando armas de fogo contra civis, tendo já assassinado pelo menos 86 pessoas, incluíndo um menino de 5 anos, e ferindo dezenas em El Alto e nas estradas que circundam a capital.

Outros setores estão se somando a esse levante: trabalhadores dos transportes, professores, camponeses de outras regiões, como Cochabamba e Oruro, isolando cada vez mais o governo, que só sabe responder com repressão armada, em nome da “democracia”!

Frente a isso, vendo o barco afundar, alguns setores da burguesia boliviana e de governos latino-americanos falam em “retomar o diálogo” e em chegar a um grande pacto nacional em defesa da “democracia”, sendo que alguns deles falam em “refundar a Bolívia” através de alguma “reforma constitucional” ou Assembléia Constituinte.
Infelizmente, setores de esquerda bolivianos fazem eco a este tipo de proposta que busca salvar o regime democrático colonial, ainda que às custas de uma diminuição ou mesmo entrega do poder de Goni.

Em primeiro lugar, é necessário apoiar a luta dos trabalhadores e do povo até a derrubada do governo Goni. Em segundo lugar, não é necessário encontrar mediações ou dar um fôlego para que um novo Goni, como seu vice Mesa, saia de uma negociação entre setores das oligarquias e continue a entregar o país. Não pode ser que essa luta heróica termine em uma saída constitucional burguesa para que, na sequência, se continue aplicando os planos do FMI e do imperialismo, como na Argentina e Equador.

Por um governo dos trabalhadores

O único caminho para acabar com a fome, o entreguismo e a recolonizacão do país é um governo dos trabalhadores e camponeses. É preciso unir a COB, as organizações camponesas e populares e formar um governo baseado na imensa maioria do povo boliviano, que tome em suas mãos a tarefa de defender as riquezas como o gás, mas também de expulsar o imperialismo e assumir a condução do país.

Esse governo deveria ser constituído pela COB, com a participação da Confederação Sindical Única dos Trabalhadores Camponeses da Bolívia (CSUTCB) e das forças políticas de esquerda, como o MAS de Evo Morales, o MIP de Felipe Quispe (o Malku) e deveria assumir como suas bandeiras a defesa do gás e das riquezas do país para colocá-las a serviço dos trabalhadores e do povo boliviano, o não pagamento da dívida externa, a ruptura com a Alca e o FMI.

  • Todo apoio à luta da COB, à greve geral e aos bloqueios de estradas. Gás para o povo boliviano, não para as multinacionais imperialistas!
  • Abaixo o Governo de Goni e o FMI! Ruptura de relações diplomáticas com esse governo assassino agente do imperialismo!
  • Nem pactos, nem acordos com a oligarquia! Por um Governo da COB com Solares, Evo Morales e Malku!

    Esta luta também é nossa!

    O que acontece na Bolívia é do interesse de todos os trabalhadores e povos latino-americanos. Assim como em 1952, a grande revolução boliviana mostrou a possibilidade de um processo revolucionário operário na América Latina, agora a greve geral com bloqueio de estradas faz estremecer um governo que se notabilizou por seu servilismo ao grande amo do norte. Uma vitória dos trabalhadores bolivianos será uma vitória de toda a América Latina contra as burguesias entreguistas e o imperialismo norte-americano. Seria uma vitória contra a Alca, contra o FMI, pela defesa da independência nacional contra a submissão ao imperialismo e contra os governos colonizados que reprimem seus povos. Devemos rodear de solidariedade essa luta e aprovar em todas as organizações operárias e populares o apoio ao levante dos trabalhadores bolivianos e exigir dos governos latino-americanos a imediata ruptura de relações com o governo assassino de Goni.