Sintrajud denuncia desembargadora ao CNJ por assédio moral

Em reunião, a coordenadora dos juizados especiais gritou, ofendeu e humilhou servidores. A autenticidade da gravação foi confirmada pelo perito Ricardo MolinaAcesse trechos da gravação e a íntegra da transcrição do perito Ricardo Molina

O Sintrajud (Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal no Estado de São Paulo) recebeu denúncia apresentada pela gravação de uma reunião realizada pela coordenadora do JEF (Juizado Especial Federal), desembargadora Marisa Santos, e os servidores deste juizado. Na reunião, a desembargadora humilha, ofende e grita com os trabalhadores. A gravação foi analisada pelo perito Ricardo Molina, que comprovou a autenticidade da mesma.

Inconformada porque nem todos os servidores do JEF participaram de um treinamento realizado em setembro, Marisa Santos, convocou uma reunião onde não mediu esforços para tentar desqualificar os servidores.

Com base no conteúdo da gravação, o Sintrajud protocolou nesta terça-feira, dia 4, junto ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) uma Reclamação Disciplinar contra a desembargadora Marisa Santos. Cópia da Reclamação será enviada também à Presidência e Corregedoria do TRF (Tribunal Regional Federal) e demais órgãos da magistratura, objetivando que seja instaurado um processo administrativo disciplinar para apurar a conduta da desembargadora e as penalidades cabíveis.

30% da categoria sofre ou já sofreu assédio moral
Há quatro anos o Sindicato identificou que casos de assédio moral nos locais de trabalho eram freqüentes no Judiciário.

A suspeita se deu por causa do alto número de denúncias recebidas e por um levantamento feito junto aos departamentos feito junto aos departamentos médicos dos tribunais, os quais revelavam uma crescente incidência de servidores afastados por estresse e outros transtornos de ordem emocional e psicológico. Esses são os primeiros sintomas apresentados pelas vítimas de assédio moral.

Desde então, o Sintrajud está em campanha para inibir a prática.

Acesse trechos da gravação e a íntegra da transcrição do perito Ricardo Molina