Servidores em greve fazem ato público em Teresina (PI)

Ato público na capital do Piauí

Cerca de 350 servidores municipais realizaram na manhã desta terça-feira, dia 10 de maio, uma assembleia geral que decidiu pela continuação da greve, deflagrada pela categoria desde o dia 28 de abril. Após a decisão, os servidores realizaram um ato público em frente ao Palácio da Cidade – sede do poder público municipal, reivindicando um posicionamento concreto da Prefeitura Municipal de Teresina.

Devido à manifestação, a segurança do prédio foi reforçada. A categoria reivindica reajuste salarial de 47%, aumento avaliado pelos servidores municipais dentro da inflação. Cerca de 90 % dos professores efetivos estão com as atividades paralisadas e o movimento ganhou força, com a adesão de 70% dos médicos que atendem pela rede municipal de saúde.

Para o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais (Sindserm) , Sinésio Soares, a Prefeitura não apresentou, até o momento, uma contra proposta para os servidores. “A única resposta que encontramos foi que o reajuste está sendo estudando”, pontuou o presidente. Em maio de 2010, a categoria teve reajuste de 16,5%, mas segundo argumenta Soares “o reajuste dado não acompanhou a inflação do ano“.

Além do reajuste, outras reivindicações dos servidores são as alterações no Plano de Cargos, Carreira e Salários de professores; o pleno funcionamento do IPMT (Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Teresina) para maior acesso a consultas e exames; e o retorno das eleições diretas para diretores de escolas – tendo em vista que boa parte dos atuais diretores foram indicados pela prefeitura.

Nesse dia 9, a Prefeitura de Teresina divulgou uma nota afirmando que o aumento salarial deste ano será maior do que a inflação, valor superior a 6%. A definição sobre o aumento irá acontecer antes do dia 16.

Após a assembléia geral em que os servidores decidiram pela continuidade do movimento, o SINDSERM realizou uma grande passeata pelas principais avenidas de Teresina.

Outra decisão dos servidores, em sua assembléia, foi realizar um ato público neste dia 11 em frente à prefeitura com um “panelaço”, onde terão a adesão de outros servidores público como os policiais civis que estão em greve há um mês e os docentes da Uespi que aprovaram greve por tempo indeterminado a partir de quinta-feira, dia 12.