Servidores da Justiça do Rio suspendem greve após 65 dias

Após 65 dias de greve, os servidores da Justiça Estadual do Rio de Janeiro voltaram ao trabalho nesta quinta-feira, dia 27. A assembléia geral na tarde do dia 26, em frente ao Fórum Central, decidiu suspender a greve iniciada em 23 de setembro, seguindo a orientação do comando de greve. Com o espírito de guerra e sentindo-se vitoriosos, os serventuários agora estão em ‘estado de greve’, vigilantes quanto à publicação em Diário Oficial dos itens da pauta interna assumidos pelo presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, o desembargador Murta Ribeiro.

A maioria das falas na assembléia ressaltou a vitória do movimento que, com muita força e unidade, enfrentou os Poderes Judiciário, Executivo e Legislativo, além dos ataques da diretoria da OAB-RJ. Um movimento que começou desafiando a disposição do governador Sérgio Cabral Filho (PMDB) em não conceder nenhum percentual de reajuste — se negando a cumprir a legislação que garante reposição salarial e data-base — e sem qualquer perspectiva de avanços no atendimento da pauta interna por parte da Administração do Tribunal.

“Brigamos com inimigos poderosos, mas de igual para igual. Enfrentamos todos de forma aguerrida, com responsabilidade, criatividade e unidade dos lutadores. Esta foi a segunda greve mais longa da história da categoria, mas foi a que teve maior adesão. E tudo isso com a mais ampla participação da base, que foi quem realmente dirigiu a mobilização. Os avanços econômicos foram importantes, mas o mais importante foi que recuperamos a nossa consciência de classe trabalhadora e, daqui em diante, estamos mais fortes para fazer prevalecer o respeito que merecemos. Estamos todos de parabéns!”, enfatiza Amarildo Silva, presidente do Sind-Justiça.

A categoria assumiu ainda o compromisso de lutar para reverter os descontos dos dias parados impostos a alguns servidores, além de buscar o ressarcimento do Visa vale de setembro e o não desconto do mês de outubro do mesmo benefício.

Os servidores se reunirão novamente na próxima quarta-feira, dia 3, para avaliar se presidência do Tribunal cumpriu o compromisso sobre alguns itens da pauta interna.
Nesta assembléia, será realizado um ato de solidariedade à servidora Vitória Régia, de Angra dos Reis, que está respondendo injustamente processo de sindicância pela sua participação na greve.

A decisão na Assembléia Legislativa – por apenas dois votos de diferença – que reduziu o reajuste para os 5% e ignorou a data-base legal da categoria, em maio, não passará em branco. Na ocasião, servidores lotaram as escadarias da Alerj, pressionando os deputados e o presidente do TJ. Dezenas de outdoors serão confeccionados, com as fotos do governador Sérgio Cabral e dos deputados que votaram contra a categoria. Além disso, a briga pela data-base continuará na Justiça, através de ações judiciais, assim que o projeto se tornar lei.

MOBILIZAÇÃO EM 2009
A Assembléia também aprovou o calendário da Campanha Salarial do ano que vem. Logo após o término do recesso, a categoria começará a correr atrás do prejuízo. A instalação do Fundo de Greve a partir de janeiro é uma das medidas.
O calendário da campanha tem início com a realização de uma assembléia, onde serão debatidos os itens que deverão constar na pauta de reivindicações. No dia 28 de janeiro, os serventuários farão um seminário sobre estratégia e táticas da mobilização.

SOLIDARIEDADE ÀS VITIMAS DAS ENCHENTES
Os servidores da Regional de Madureira prestaram seu apoio às vítimas das enchentes de Santa Catarina. Solidários, os serventuários recolheram roupas e produtos de higiene pessoal, que foram entregues ao Sindicato no dia 26 e serão agora enviados aos moradores das cidades atingidas. Os servidores das Comarcas de Petrópolis e de Itaipava já decidiram que irão seguir o exemplo.

  • visite o site do sindjustica, para ver galerias de fotos e vídeos da greve
  • Dois mil servidores da Justiça fazem ato no Rio