Seminário no Rio discute programa socialista para o Brasil

Nos dias 16, 17 e 18 de agosto, no Rio de Janeiro, no CREA-RJ, foi realizado o “Seminário Esquerda Pra Valer – Construindo uma saída socialista para o Brasil”, organizado pelo Instituto José Luís e Rosa Sunderman. Compareceram mais de 300 pessoas, entre intelectuais e militantes dos movimentos sociais.
A abertura, na sexta feira, dia 16, contou com a presença de Zé Maria, que saudou a iniciativa e falou sobre a situação nacional, em especial a respeito do acordo firmado com o FMI e das conversas que estavam marcadas entre FHC e os quatro principais candidatos.
Zé Maria destacou que esta conversa serviria para que os quatro candidatos ratificassem o acordo e concordassem com mais esta submissão do Brasil aos banqueiros internacionais.

Raça e Classe

Logo após a abertura realizou-se o debate sobre “Raça e Classe”. Não por acaso, o PSTU escolheu como sua candidata a vice-presidente uma militante do movimento negro, Dayse Oliveira, que dividiu mesa com Haroldo Antônio, dirigente do Movimento Negro Unificado (MNU). Dos vários temas abordados no debate, destacaram-se o combate ao mito da democracia racial e a reivindicação do movimento negro de reparações do Estado brasileiro pela escravidão e marginalização dos afro-descendentes.

Alca e Dívida

O sábado de manhã foi ocupado pelo debate “Alca e Dívida Externa”, precedido da apresentação de um vídeo sobre a Alca, com as presenças de Valério Arcary, da direção nacional do PSTU e César Benjamin, do Movimento Consulta Popular. A discussão permitiu visualizar com mais clareza as profundas mudanças – para pior – que virão caso a Alca seja implantada. Houve na discussão muitas críticas ao posicionamento do PT, que decidiu não participar do plebiscito da Alca.

Mesas Temáticas

Na tarde de sábado ocorreram três mesas temáticas. Uma mesa sobre educação, com os professores da UFF Nícolas Davies e Lúcia Neves. A segunda mesa sobre saúde, com Lúcia Pádua, diretora do Sindsprev/RJ e candidata a deputada estadual pelo PSTU; Antônio Carlos Cardoso, Médico da Fiocruz e militante do PSTU e José Onildo, médico do IPUB.
A terceira mesa teve como tema “Gênero e Classe” e contou com as presenças de Ana Rosa Minutti, da Secretaria de Mulheres do PSTU e Cleier Marconsin, professora de Serviço Social na UERJ, vice-presidente da ASDUERJ e militante do PSTU. Todas as mesas foram muito concorridas e ajudaram a preparar tanto o programa nacional, como o estadual a respeito destes temas.

Segurança Pública

O debate contou com as presenças de Américo Gomes, da Direção Nacional do PSTU, Álvaro Frota, professor da UERJ e militante do PSTU e Hélio Luz, deputado estadual no Rio de Janeiro que recentemente se desfiliou do PT.
O debate tirou duas grandes conclusões. Em primeiro lugar, não é possível acabar com a violência sem combater a fome, a miséria e a falta de perspectiva da juventude, e isso passa por mudanças radicais na estrutura da sociedade. Em segundo lugar, o combate à violência passa pelo controle das forças de repressão pelos trabalhadores.

Democracia Burguesa

Esta mesa realizou-se no domingo pela manhã, com as presenças de Eduardo Almeida Neto, da Direção Nacional do PSTU e Alícia Sagra, que é dirigente da Frente Operária Socialista (FOS) da Argentina. Abordou-se nesta discussão a farsa da democracia burguesa e a fragilidade que vem tomando conta deste regime político no último período em nosso continente, com destaque especial para a situação da Argentina.

Caminhada contra a Alca

Como não podia deixar de ser, nosso seminário terminou em mobilização. A programação do evento foi construída para acabar ao meio dia, a tempo para que todos os presentes fossem participar da Caminhada da Campanha contra a Alca pela orla do Rio de Janeiro.
Post author André Buca,
do Rio de Janeiro
Publication Date