Seções da LIT impulsionam atos de solidariedade à jornada de lutas no Brasil

Ato na embaixada brasileira em Madri
Foto: Corriente Roja

No dia 11 de julho, dia de protestos e paralisações no Brasil, várias seções da LIT realizaram atos de apoio aos trabalhadores brasileiros

No dia 11 de julho, o Brasil viveu um dia nacional de paralisações e manifestações públicas. Em todo o país os trabalhadores realizaram greves, atos e cortes de estradas. A classe trabalhadora brasileira, porém, não estava sozinha. Pondo em prática o internacionalismo operário, diversas seções da Liga Internacional dos Trabalhadores, organização internacional com a qual o PSTU mantém relações fraternais, realizaram manifestações de solidariedade ao dia de lutas no Brasil.

Na Espanha, a Corriente Roja, seção da LIT no país, realizou um ato em frente à embaixada brasileira em Madri. Com bandeiras da Cobas (Sindicato de Comissões de Base) e da CSP-Conlutas, o protesto reuniu cerca de 40 pessoas. Foi também entregue uma carta à embaixada, de solidariedade ao dia de paralisações no Brasil. Já na Inglaterra o ISL (International Socialist League), seção britânica da LIT, realizou um debate sobre o Brasil, na cidade de Manchester.


Manifestação em frente à embaixada brasileira na Argentina

Houve também atos de solidariedade na América Latina. Na Argentina, uma passeata reuniu algo como 80 pessoas na capital Buenos Aires, terminando na porta da embaixada do Brasil. Além do PSTU argentino, seção da LIT no país, participaram militantes da UIT e outras organizações de esquerda.

Em Lima, capital do Peru, o protesto também ocorreu em frente à embaixada brasileira. “Peru, Brasil, América Central, a classe operária é internacional“, cantavam os manifestantes. O PST (Partido Socialista de los Trabajadores), seção da LIT, e dirigentes sindicais estiveram presentes e entregaram uma carta ao embaixador. “Como vizinhos e irmãos que nos sentimos dos trabalhadores brasileiros, de cujas organizações, em especial a CSP-Conlutas, temos recebido múltiplas expressões de solidariedade com nossa luta, instamos às suas máximas autoridades a atender e resolver suas justas reivindicações“, diz a carta.


Ato em Lima, no Peru

Também ocorreram manifestações na América Central. Em Honduras um grupo de organizações de esquerda, entre eles o PST, seção local da LIT, foram à embaixada em Tegucilgalpa e entregaram uma carta de solidariedade às manifestações no Brasil e às reivindicações dos trabalhadores brasileiros no dia 11 de julho. Na Costa Rica, os militantes do Partido dos Trabalhadores realizaram uma manifestação em frente à embaixada brasileira na capital San José.

;

Diversas organizações sindicais e populares, como o Solidaires da França, o Batay Ouvriye do Haiti e No Austerity da Itália também enviaram moções de apoio e solidariedade ao dia nacional de lutas e paralisações.