Santa Catarina diz não à reforma de Lula

O 8º CECUT-sc foi marcado pela vitória política do Bloco de Esquerda, que conseguiu aprovar resoluções contra a reforma dA Previdência de Lula. O lamentável ficou por conta da esquerda do PT, que tentou impedir a formação do Bloco, caluniando o PSTUNa abertura do congresso, no dia 2 de maio, montou-se uma mesa com os representantes do PT, PSTU e PCdoB e autoridades petistas incluindo José Fritsch, secretário Nacional de Pesca, e a senadora Ideli Salvati (PT-SC). O PSTU foi a primeiro a fazer uso da palavra, denunciando o caráter de classe do governo Lula, a política econômica, as reformas, entre elas a da Previdência, e fazendo no final um chamado ao PT e a Lula para romperem com a burguesia e governarem para os trabalhadores. Fritsch defendeu a política econômica de Lula e a nefasta reforma da Previdência, pela qual foi criticado e recebeu dos servidores federais uma moção de repúdio.
Em seguida, houve um debate sobre conjuntura. João Flávio, militante do PSTU e servidor da Justiça do Trabalho, defendeu com muita ênfase as posições do Bloco de Esquerda.
Nos grupos, o grau de descontentamento com o governo Lula era grande e todas as emendas propostas pelo Bloco foram aprovadas para irem ao plenário geral. No plenário, com 298 delegados, foi priorizado o debate de estratégia e a reforma da Previdência. Ninguém defendeu em plenária a reforma do governo. Além das forças políticas, falaram muitos companheiros petistas independentes e todos foram contundentes em afirmar que essa reforma é a mesma de Fernando Henrique e do FMI.
Após o debate foram aprovadas, com apenas três abstenções, as resoluções contra a reforma da Previdência (quadro ao lado).

Disputa da direção

Apesar do acordo na maioria das resoluções entre toda a esquerda, as correntes organizadas da esquerda petista se negaram a conformar uma chapa unificada.
Cumprindo um papel divisionista, as correntes O Trabalho, Força Socialista, Articulação de Esquerda e CDS tentaram isolar o MTS, dizendo nos corredores do congresso que o PSTU defende o “Fora Lula” e que, portanto, não era possível fazer a chapa. Porém, tiveram um surpresa: o MTS, independentes de vários sindicatos, prestistas e a Oposição Alternativa dos professores conseguiram conformar um Bloco de Esquerda, encabeçado por Valmir Braz, da Previdência.
Na defesa das chapas, o Bloco de Esquerda chamou a esquerda petista a não repetir no CONCUT o que foi feito em Florianópolis.

Resoluções

Contra a reforma da Previdência do governo Lula
Retirada imediata do projeto do Congresso Nacional
Campanha de luta e esclarecimento sobre o tema
Indicativo de greve geral no serviço público contra a reforma
Post author Joaninha,
de Florianópolis – SC
Publication Date