Saiu o número 3 da revista Correio Internacional

Edição foi lançada em dezembroO terceiro número da revista Correio Internacional chega no momento em que a classe operária e a juventude européia respondem com lutas, greves e mobilizações ao duro ataque que sofrem por parte dos diferentes governos, com epicentro na França. Por isso, o principal dossiê da edição está dedicado a essas lutas, que levantam a possibilidade de derrotar os planos de ajuste dos governos.

Na continuação, a seção dedicada aos Estados Unidos analisa as razões do desgaste e da queda de popularidade do governo de Obama, após dois anos da sua posse, que levaram a sua derrota nas recentes eleições legislativas. Apontam-se também as perspectivas muito contraditórias para o imperialismo norte-americano que se abrem com esta derrota.

No artigo dedicado às 500 mil demissões anunciadas recentemente pelo governo cubano, desenvolvemos uma polêmica com o PTS argentino sobre qual deve ser hoje o programa dos revolucionários para Cuba: se o da revolução política, próprio para um estado operário burocratizado, ou o da revolução social em um país onde o capitalismo já foi restaurado.

Outros artigos estão dedicados a uma homenagem aos cem anos da grande Revolução Mexicana; a uma análise das recentes eleições presidenciais e legislativas brasileiras, com um balanço da participação do PSTU, e uma análise mostrando que o suposto golpe contra o presidente Rafael Correa, no Equador, não foi um golpe.

A seção “Países” se completa com notas sobre Argentina, América Central e Venezuela. A seção “Vida dos Partidos” traz a participação da delegação da LIT-QI no Encontro das Mulheres realizado na Argentina, o seminário sobre a atualidade do trotskismo realizado pelo Partido da Alternativa Comunista italiano (PdAC)e a campanha desenvolvida no 70º aniversário do assassinato de Leon Trotsky. Finalmente, a seção “Cultura” está dedicada ao tema John Reed, autor do livro ‘Os dez dias que abalaram o mundo’, e o jornalismo revolucionário.

A revista pode ser adquirida com os militantes do PSTU ou em uma das sedes do partido.

  • Leia a apresentação da revista, publicada na primeira edição