Repressão policial na inauguração do restaurante universitário da UESB

Leia o manifesto assinado pelos Centros e Diretórios Acadêmicos da UESB, pelo DCE e pelo Movimento Rompendo Amarras
ESCÂNDALO: INAUGURAÇÃO DO RU TERMINA COM REPRESSÃO POLICIAL

Após um ano e meio de atraso, finalmente, o Restaurante Universitário da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) foi inaugurado. Em setembro do ano passado, os estudantes iniciaram uma onda de protestos exigindo a imediata conclusão do RU. As manifestações repercutiram na mídia e a partir daí a Universidade tomou providências afim de concluir as obras.

Inaugurado ontem à noite sob intenso protesto estudantil, a Reitoria tentou justificar o preço abusivo (bandejão: R$2,70 e o quilo: R$6,90) comparando com os praticados em outras universidades estaduais baianas. O fato é que, tanto na UESC quanto na UEFS, os estudantes pobres buscam outras formas de se alimentar devido ao alto custo das refeições.

Mesmo com a presença de vários seguranças, que tentaram impedir o acesso do carro de som, que minutos antes da inauguração teve o pneu furado, o reitor foi vaiado do início ao fim por cerca de 300 estudantes que rechaçaram a terceirização da gestão. De acordo com a decisão da última assembléia, os alunos irão boicotar o Restaurante até que a Administração inicie um canal de diálogo com os discentes e as demais entidades.

Após descerrar a placa, o Reitor da Uesb abandonou o local. Estranhamente, minutos depois, uma viatura da Polícia Militar se aproximou do local e abordou quatro estudantes que não estavam na manifestação. Houve correria e os manifestantes se concentraram ao redor da viatura e impediram que a PM levasse preso os estudantes.

Esse é mais um episódio fatídico que ratifica a postura autoritária da Administração Central da Uesb que permite que a PM entre no campus universitário e atue inconsequentemente. ABAIXO A REPRESSÃO! GESTÃO PÚBLICA DO RU JÁ!

CAs e DAs de Agronomia, Geografia, História, Direito, Biologia, Matemática e Pedagogia, Diretório Central dos Estudantes e Movimento Rompendo Amarras“