PSTU é apresentado a moradores do Pinheirinho

No dia 7 de maio, o PSTU esteve na ocupação Pinheirinho, em São José dos Campos, apresentando o partido. Cerca de 45 moradores e ativistas da maior ocupação urbana do Brasil atenderam ao convite do PSTU para conhecer nossa organização. Além desses, estavam presentes além dos 12 militantes do partido.

A apresentação foi feita por Mariúcha Fontana, dirigente nacional do PSTU; Toninho Ferreira, ex-candidato a prefeito de São José dos Campos pelo PSTU; Valdir Martins, o Marrom, diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e coordenador-geral da ocupação; e Cláudio Rennó, dirigente do núcleo de Base do PSTU no Pinheirinho.

Os temas abordados foram sobre porque o PSTU é diferente dos outros partidos burgueses, reformistas e centristas. Foi explicado o que é o socialismo e quais as diferenças com o capitalismo. Os palestrantes também falaram sobre o que é ser socialista, o que é ser militante e como funciona o partido.

Foi esclarecido que o PSTU é diferente por dois motivos básicos. Em primeiro lugar, o partido é formado por trabalhadores e está estritamente ligado à classe trabalhadora. Em segundo lugar, o partido, diferente de outros como o PT, por exemplo, tem uma estratégia claramente socialista, o que define limites claros de atuação no campo dos trabalhadores.

Os palestrantes explicaram que o socialismo é um regime em que os interesses dos trabalhadores são atendidos, ao contrário do capitalismo, em que só os interesses dos muito ricos são satisfeitos. Por exemplo, se existisse o socialismo no Brasil, a situação do Pinheirinho já estaria resolvida, com as casas construídas, as ruas asfaltadas, saneamento básico, creches, escolas, postos de saúde etc. Em suma, já seria um bairro urbanizado. Mas não só: todos os trabalhadores sem-teto, sem-terra, operários, professores, bancários, todos teriam seus interesses atendidos.

No Brasil, hoje, existem cerca de 6 milhões de imóveis fechados para especulação imobiliária para aumentar o lucro dos proprietários. Enquanto isso, o déficit habitacional é de cerca de 5 milhões moradias: um milhão a menos do que os imóveis que estão fechados. Isso é capitalismo. No socialismo, não teria nenhuma família sem teto, sem terra, sem emprego, sem salário, sem direitos etc.

Ser socialista e ser militante é dedicar a vida à construção do socialismo, à defesa dos trabalhadores, do Pinheirinho, de São José, do Brasil e do mundo. O partido tem muita discussão na base, mas também muita unidade na ação, e as críticas são bem vindas.

Alguns militantes disseram que, no começo, não entendiam muita coisa, achavam as reuniões muito chatas. Depois, porém, foram entendendo e vendo a necessidade do partido para a defesa dos trabalhadores e para a revolução socialista. Disseram que a primeira revolução foi em suas vidas e que isso valeu muito a pena.

Por fim, Marrom e Rennó convidaram os presentes a ingressar no PSTU. Cerca de 15 dos 45 presentes aceitaram fazer uma experiência com o partido e se comprometeram a ir à próxima reunião do núcleo de base.