PSTU de Aracaju divulga Opinião Socialista e os 90 anos da Revolução Russa

Apresentar o jornal aos trabalhadores é mais que necessário, pois esse é o nosso elo com a classe trabalhadora. Queremos organizar os trabalhadores no partido através do jornal. O jornal também é um recrutador para as fileiras da revolução.

A regional do PSTU em Aracaju, após a marcha a Brasília, traçou duas atividades importantes para debater o partido revolucionário com os ativistas.

A primeira atividade foi realizada no dia 30 de outubro, última terça-feira, na sede do partido e contou com a presença de mais de vinte ativistas petroleiros, cimenteiros, servidores da saúde e outras categorias. No final da reunião, foi feito o convite a que todos se somassem a construção do partido. Um novo encontro será realizado no dia 7 de novembro. Uma companheira petroleira fez uma declaração sobre o PSTU e seu papel nas lutas atuais, anunciando sua filiação ao partido.

A segunda atividade iniciou na quarta-feira, 31, pela manhã. É um calendário de vendas do jornal em todas as unidades da Petrobras. Serão realizados piquetes durante a semana de assembléias de mobilização da campanha salarial dos petroleiros.

O jornal e a construção do partido
Lênin, na batalha para a construção do partido operário revolucionário, utiliza o jornal como um instrumento central. Foi assim na construção e organização do Partido Bolchevique.

Desde sua fundação, o PSTU mantém a publicação do jornal Opinião Socialista. Antes era publicado quinzenalmente. Hoje, com muito esforço militante, é publicado semanalmente. A maioria das correntes que reivindicam o marxismo-leninismo abandonou essa tradição. Para o PSTU, o esforço para manter o Opinião Socialista é fundamental e necessário. Procuramos fazer do jornal a ferramenta que Lênin definiu como “órgão dirigente do partido”. É um propagandístico coletivo, um agitador coletivo e, acima de tudo, um organizador coletivo.

Em sua edição nº 319, o Opinião Socialista traz como centro de sua propaganda os 90 anos da Revolução Russa. O centro do jornal é debater com os trabalhadores e com a juventude a estratégia da tomada do poder e a construção do partido revolucionário para conduzir os trabalhadores à vitória. A edição especial desenvolve toda uma discussão da revolução de 1917 e a situação atual, os desafios a nós colocados e a necessidade da construção de uma alternativa de direção para a nossa classe. Na verdade, vimos o Opinião Socialista cumprir nada mais nada menos que seu papel: agitação, propaganda e organização coletiva.

Na marcha a Brasília, no último dia 24 de outubro, o Opinião Socialista marcou presença. Na verdade, marcou presença bem antes, pois, durante toda a sua preparação, o jornal foi dedicado à construção dessa vitoriosa marcha. Em todas as colunas da marcha, militantes do partido ofereciam e divulgavam o jornal. Nos ônibus que iam à marcha, os militantes apresentaram o jornal, debateram a sua importância e necessidade para o partido e para os trabalhadores e foram todos convidados a adquirir o jornal. Mais do que isso: a debatê-lo semanalmente com os militantes do partido.

O Opinião Socialista é um orgulho para nós, militantes do PSTU. Mantê-lo semanalmente é um desafio, é uma batalha que queremos convidar a nossa classe a travar conosco, pois o Opinião Socialista não é um jornal do PSTU, mas sim o jornal da nossa classe. Queremos fazer dele a tribuna da juventude, dos trabalhadores, dos oprimidos. Queremos que o Opinião Socialista cumpra o mesmo papel que cumpriu o Pravda na organização da classe trabalhadora russa na tomada do poder em outubro de 1917.

Comemorar os 90 da Revolução Russa é debater o papel que cumpriu o jornal nessa vitoriosa revolução. Podemos dizer que sem o jornal como organizador coletivo dificilmente os bolcheviques teriam conduzido os trabalhadores à vitória. Revolução rima com organização. Organização sem jornal não rima com revolução.

Próxima parada: Quarta com Vídeo
Na próxima quarta-feira, 7 de novembro, às 19h, na sede do PSTU, em Aracaju, acontece a Quarta com Vídeo. O vídeo em debate será o documentários sobre os 90 anos da Revolução Russa elaborado pelo partido.

Em seguida, haverá uma boa festinha, com cerveja bem geladinha e um bom tira gosto nordestino.