PSTU chama o voto em Lula…

A classe trabalhadora e o povo pobre do nosso país querem mudança. Ninguém agüenta mais a continuidade da política de FHC e do FMI, que entrega o Brasil para o imperialismo e enriquece os banqueiros, às custas da fome e miséria do nosso povo.

Durante os últimos oito anos, o PSTU enfrentou intransigentemente o governo FHC e o FMI. Estivemos junto aos trabalhadores nas lutas contra as demissões, as privatizações, o desman-telamento dos serviços públicos e o pagamento da dívida externa. Não vacilamos em defender o reajuste dos salários, os direitos trabalhistas, a reforma agrária e os serviços públicos. Denunciamos, desde o primeiro turno, José Serra como o candidato preferencial do imperialismo norte-americano, dos grandes banqueiros, empresários e latifundiários.

Entendemos que a maioria dos trabalhadores, ao ver em Lula a possibilidade de derrotar eleitoralmente Serra, deposita nele suas esperanças de mudança da situação econômica e social do país. Porque os trabalhadores acreditam em Lula e, sobretudo, querem a derrota eleitoral de Serra, candidato de Fernando Henrique, o PSTU se soma à classe trabalhadora e chama o voto em Lula.

…MAS SEM RUPTURA COM A ALCA E O FMI NÃO HAVERÁ MUDANÇA

O PSTU chama o voto em Lula, mas continuaremos dizendo a verdade para você. A verdade é que o Brasil vive uma grave crise e que o FMI e os ricos estão jogando o peso desta crise nas costas dos trabalhadores. Nosso país está rumando para a situação da Argentina: como aconteceu lá na época da eleição de De La Rua, também no Brasil o FMI impôs à situação e à oposição um acordo para que, fosse quem fosse o novo presidente, se mantivessem os “contratos” e as metas impostas pelo Fundo.

O acordo com o FMI exige mais cortes nos gastos sociais, privatizações, recessão e desemprego, fim da aposentadoria, fim dos direitos trabalhistas e aceleração da Alca. Qualquer que seja o futuro governo, se não romper com a Alca e o FMI, será ainda pior do que o de FHC.

Mas Lula, infelizmente, resolveu se submeter ao novo acordo com o FMI e aceitar as negociações da Alca. Aliou-se com a burguesia e está defendendo um programa que não difere quase nada do de Serra. Por isso, nós do PSTU não acreditamos que um governo Lula vá melhorar a vida do povo.

Os trabalhadores, que acreditam que Lula governará em benefício da classe trabalhadora devem exigir dele que rompa com a Alca e o FMI, não pague a dívida externa e interna e invista este dinheiro em emprego, saúde, educação e moradia.

NENHUMA CONFIANÇA NO FUTURO GOVERNO: PREPARAR A MOBILIZAÇÃO POPULAR

Vamos ajudar a eleger Lula e a derrotar eleitoralmente Serra, mas fazemos um chamado aos trabalhadores para que não depositem confiança no futuro governo e prepararem a mobilização popular contra os ataques que o FMI quer nos impor e em defesa de suas necessidades e reivindicações.

Os trabalhadores não devem aceitar qualquer “pacto social” em que, mais uma vez, os trabalhadores entrem com o pescoço e os capitalistas, com a corda. Sempre que um governo propôs fazer “pacto social” no Brasil, alegando que todos deveriam fazer sacrifícios para salvar o país, só quem se sacrificou foi a classe trabalhadora, enquanto este mesmo governo seguia pagando juros aos banqueiros nacionais e estrangeiros e garantindo os lucros dos ricos.
Post author
Publication Date

SHARE
Artigo anteriorFala Zé Maria
Próximo artigoDois anos de impunidade