PSTU chama o voto em Lula, mas alerta: não haverá mudança sem ruptura com a Alca e o FMI

A classe trabalhadora e a maioria do povo explorado do nosso país quer mudança. Serra é representante dos ricos e candidato desse governo. O PSTU é totalmente contra Serra. Lula veio da classe trabalhadora. A maioria dos trabalhadores vê em Lula a possibilidade de derrotar eleitoralmente Serra e deposita nele a esperança de mudança. Como os trabalhadores acreditam em Lula e, sobretudo, querem a derrota eleitoral de Serra, o PSTU se somará à classe trabalhadora e ajudará a chamar o voto em e a elege-lo.

O PSTU, entretanto, não acredita que um possível futuro governo Lula vá mudar a vida do povo sem romper com o FMI, a ALCA e para pagar a dívida externa. Um governo submisso ao FMI e de aliança com a burguesia atacará a classe trabalhadora.

O PSTU chamará o voto em Lula, mas continuará dizendo a verdade para o povo. A verdade é que o Brasil vive uma crise e que o FMI e os ricos querem jogar o peso da crise sobre os trabalhadores. Nosso país está rumando para a situação da Argentina.

Os trabalhadores, que acreditam que Lula governará em benefícios dos explorados, devem exigir dele que rompa com a ALCA e o FMI, não pague a dívida externa e invista este dinheiro em emprego, saúde, educação e moradia.

Vamos ajudar a eleger Lula e a derrotar eleitoralmente Serra, mas fazemos um chamado aos trabalhadores para que não depositem confiança no futuro governo e para que preparem a mobilização popular contra os ataques que o FMI quer nos impor e pela conquista das nossas reivindicações.