PSOL e PSTU lançam manifesto contra João Fontes em Sergipe

Diante das iniciativas do candidato do PDT ao governo de Sergipe, João Fontes, de colar seu nome à campanha de Heloísa Helena, em seus materiais e discursos, o PSOL e o PSTU resolveram lançar um manifesto público, deixando claro que as candidaturas do PDT e de João Fontes são contra os trabalhadores e não são apoiadas pela Frente de Esquerda.

Em Sergipe, a Frente de Esquerda também apresentou seus candidatos como alternativa aos trabalhadores. Com Heloísa Helena presidente, Toeta governador (PSTU) e Heitor senador, a Frente em Sergipe também diz: “Nem Lula nem Alckmin! Nem João/PFL, nem Déda/PT!”.

Porém, diante do impasse gerado com a campanha de João Fontes, a própria Heloísa ainda não esteve em Sergipe para fazer campanha junto com os outros candidatos da Frente. Diante dos fatos, os dois partidos divulgaram o manifesto, que segue abaixo na íntegra.

“Manifesto da Frente de Esquerda de Sergipe PSOL-PSTU
Lançamos nacionalmente a candidatura de Heloísa Helena para apresentarmos uma alternativa real para o povo brasileiro aos dois candidatos apoiados pelos banqueiros. O povo brasileiro não pode ser condenado a escolher entre Lula e Alckmin, dois candidatos que defendem o mesmo programa neoliberal e a mesma prática política de corrupção que impera no Congresso Nacional e no governo.

PSDB e PFL já mostraram com FHC que governam para os banqueiros, que usam a corrupção no dia-a-dia do poder. Mas a direita não está só com PSDB-PFL – está também no governo Lula. Os bancos têm tido mais lucros com o governo do PT do que tiveram com FHC (que já eram fabulosos). Não por acaso, doaram R$ 7,9 milhões ao PT e R$ 4,3 milhões ao PSDB nas eleições de 2004.

Lula vai pagar aos banqueiros em seu governo cerca de R$ 520 bilhões de juros da dívida pública. Mais de 70% desta montanha de dinheiro irá para as contas das 20 mil famílias mais ricas do Brasil. Enquanto isso, o governo gasta R$ 5,5 bilhões por ano com o Bolsa Família, programa assistencial utilizado como seu principal cabo eleitoral.

Além disso, tanto Alckmin quanto Lula já declararam que a próxima medida necessária para deixar os empresários contentes será a aprovação da reforma trabalhista. Sob a desculpa de “reduzir” os encargos trabalhistas para os patrões, os trabalhadores deste país perderão direitos históricos como 13º salário, férias, multa rescisória, FGTS, licença maternidade, etc. E isto não é para após 1º de outubro! Já foi aprovado dia 6 de setembro, na Câmara Federal, o Projeto de Lei Geral das Pequenas e Micro empresas – O Super Simples – que retira estes direitos dos trabalhadores destas empresas.

O Super Simples é muito grave! Beneficia os pequenos empresários, lojistas e ataca duramente os trabalhadores levando-os à condição de “semiescravos”. É preciso barrar sua aprovação no Senado e isso só será possível com muita luta. Em Sergipe, João/PFL e Déda/PT, para desviar o assunto e não deixar que os trabalhadores saibam da aprovação do Super Simples, só falam da Transposição do Rio São Francisco. Mas eles defendem o
Super Simples! Estão a favor de retirar direitos dos trabalhadores, pois suas candidaturas têm compromisso com os empresários e patrões.

Ambos se calaram diante dos maiores ataques sofrido pelos petroleiros nos últimos anos: a repactuação e os leilões dos blocos de reservas petrolíferas. As candidaturas da Frente de Esquerda, Heloísa – Presidente, Toeta – governador , Heitor – Senador, estiveram na luta contra a repactuação e defendem o fim dos leilões.

Defendemos a revogação das reformas neoliberais, a começar pela reforma da Previdência. Não à reforma trabalhista e sindical do governo e do FMI. Barrar o Super Simples! Não à reforma universitária privatizante do governo. Queremos a revogação imediata das privatizações das empresas estatais, a começar pela Vale do Rio Doce. Anulação das privatizações parciais da Petrobras e dos leilões das reservas de petróleo. Pela retirada imediata das negociações da Alca. Pela retirada imediata das tropas brasileiras do
Haiti. Todo apoio à nacionalização do gás na Bolívia.

Para acabar com a corrupção, defender o povo e mudar o Brasil, a Frente de Esquerda apresenta estas propostas, faz um chamado à luta e pede seu voto.

Uma polêmica com João Fontes do PDT
Frente de Esquerda quer libertar o país das garras do capital financeiro e do imperialismo. Isso inclui também uma luta em Sergipe. Nessa luta temos adversários/inimigos e aliados/amigos. Todos os patrões e governos que cumprem as ordens do imperialismo e retiram direitos dos trabalhadores são adversários e inimigos. E quem tem feito isso é o PSDB, PFL e também o PT, PCdoB, Lula e todos os representantes da burguesia.

O PDT de João Fontes é um desses partidos da burguesia, é o partido do Paulinho da Força Sindical, entidade vendida aos patrões, que apóia o Super Simples e a reforma trabalhista. Por isso, a Frente de Esquerda decidiu nacionalmente que o PDT não devia fazer parte do seu arco de alianças. A candidatura de Heloísa deveria ter o apoio unicamente do PSTU, PSOL e PCB para manter seu conteúdo de classe.

Em Sergipe, apesar dos parcos recursos financeiros, a Frente de Esquerda segue firme e cresce a cada dia com o programa que defende e as lutas que desenvolve. Na última pesquisa do IBOPE estávamos com 1%, empatados com o PDT, mesmo este partido e João Fontes buscando gerar confusão na mente da população ao fazer seu material de campanha colado com nossa candidata à Presidência ao invés do candidato do mesmo partido que o dele, Cristovam Buarque.

Estão cada vez mais freqüentes os panfletos de João Fontes com a utilização da candidata da Frente de Esquerda, o uso de sua imagem nos seus programas eleitorais, carro de som nos bairros com depoimentos de Heloísa, etc.

Esta não é uma disputa por palanque, nem se trata de relações entre amigos. João Fontes optou por sair do PSOL de Heloísa Helena para ser presidente estadual do PDT. Então, que seja coerente, faça campanha para seu candidato.

Nós consideramos fundamental a construção de uma alternativa também para os trabalhadores de Sergipe. Isto implica lutar implacavelmente contra as candidaturas de João e de Déda pelo que eles representam. São iguais na política econômica de beneficiamento dos ricos e prejuízo e ataque aos trabalhadores. Seus partidos estão atolados na corrupção do “mensalão” e das sanguessugas.

Mas a construção dessa alternativa exige uma clara definição de quem são os aliados. O PDT de João Fontes, por ser um partido da burguesia, não é nosso aliado.

Por isso, a Frente de Esquerda de Sergipe reafirma o princípio de nenhuma aliança e relação com setores da burguesia, incluindo o PDT, conforme acordado nacionalmente quando formamos a Frente. Reafirmamos nosso compromisso com as candidaturas de Heloísa Helena, Toeta – Governador e Heitor – Senador por considerarmos que elas são as únicas realmente comprometidas com os interesses dos trabalhadores.”