Professores são violentamente reprimidos em Icó, no Ceará

Aos moldes do coronelismo, a prefeita Laís Nunes (PDT) manda reprimir com absurda violência professores e professoras do município de Icó, que pertence à microrregião de Iguatu no Ceará.

Na noite desta segunda-feira, 19, professores, servidores e o povo da cidade se reuniram em frente à Câmara dos Vereadores para protestar contra o Decreto nº 02/2018, da prefeita Laís Nunes (PDT). Esse maldito decreto reduz o salário de 362 professores pela metade.

Os educadores foram impedidos de acompanhar a sessão na Câmara de Vereadores. E o local se transformou em um verdadeiro campo de guerra. Policiais militares e guardas municipais lançaram bombas de efeito moral, dispararam tiros de bala de borracha e spray de pimenta nos professores. Inclusive o próprio secretário municipal de Segurança, Geilson Pereira Lima, efetuou disparos contra a população. Alguns trabalhadores se feriram e precisaram de atendimento médico.

Com toda essa truculência, vereadores conseguiram aprovar em primeiro turno o Decreto, com placar de sete votos a cinco. A previsão é que na próxima quinta-feira, 22, ocorra uma segunda votação na Câmara.

Cercar de solidariedade e fortalecer a luta em defesa dos professores de Icó
Diante de tantos ataques aos trabalhadores em educação e ao povo da cidade, fazemos um chamado a todos os sindicatos e, em especial, aos da educação e de servidores públicos a construírem um grande ato junto aos professores de Icó.

O PDT de Laís Nunes é o mesmo partido dos Ferreira Gomes (Ciro, Cid e Ivo) e do prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio. Nesse sentido,  a luta dos professores de Icó é a luta de todos nós.

– É hora de construir uma grande caravana até Icó para derrotar esse duro ataque!

– Nenhuma redução de salários e direitos!

– Ocupar as ruas em um grande ato unificado para derrotar o Decreto de Laís Nunes (PDT)!