Professores de Teresina mantêm greve contra ataques do PSDB

Protesto dos professores

Os professores de Teresina estão realizando uma forte greve, desde o dia 21 de setembro. A greve começou devido ao golpe dado pela prefeitura, em relação a mudança de nível da categoria.

Há mais de seis anos sem a mudança de nível, suspensa em 2000, a categoria em suas últimas greves conseguiu reincorporar esse direito. Porém, a surpresa ficou no momento em que a Prefeitura realizou a mudança com o dinheiro do ranking (gratificação de desempenho escolar, financiado pelo Fundef), que já estava incorporada nos contracheques dos professores e professoras. Ou seja, os docentes pagaram a si mesmo. E, em alguns casos, houve até redução de salário.

O Sindserm, sindicato que integra a Conlutas, reivindica a mudança de nível, a incorporação do ranking nos vencimentos de forma isonômica e reajuste salarial. Não aceita de forma alguma esse golpe do prefeito Sílvio Mendes, do PSDB.

A greve começou com a grande participação da categoria. Várias escolas estão 100% fechadas. Foi criada uma Comissão de Mobilização para visitar escolas semi-fechadas e aprovada a continuação da greve. Mesmo com uma liminar julgando a ilegalidade do movimento, a greve continua forte e os professores e professoras decidiram intensificar o movimento. Nesta sexta, dia 6, realizaram uma passeata pelas ruas do bairro Movambinho, na zona norte da cidade, denunciando para a comunidade a intransigência do prefeito, que se recusa a receber o sindicato.

A greve dos professores em Teresina já incomoda o prefeito Silvio Mendes, coordenador da campanha de Geraldo Alckmin no estado. Em entrevista à TV Clube, afiliada da Globo, o secretário de educação Bonfim mais uma vez mentiu afirmando que está transformando o ranking em mudança de nível.

A Conlutas do Piauí está presente, dando total apoio a essa luta, e chama o conjunto dos movimentos sociais a apoiar o movimento e exigir que o prefeito abra o canal de negociação. A categoria necessita do apoio de todas as outras categorias e entidades do movimento social. Todo apoio à luta do Magistério Municipal de Teresina!