Presos palestinos em greve de fome

Cerca de 3.500 palestinos encarcerados em prisões israelenses iniciaram no dia 15 uma greve de fome. Desde setembro de 2000, início da segunda Intifada Palestina, toda a resistência à ocupação israelense em territórios palestinos têm sido punida através das chamadas “detenções administrativas”. Estas, que se caracterizam por não precisar de nenhuma acusação nem julgamento para acontecer, mantém os presos em condições subumanas, contrariando todas as convenções internacionais. Os prisioneiros são submetidos a torturas, humilhações, não recebem alimentação adequada, são proibidos de receber visita de familiares e ficam muitas vezes isolados durante longos períodos. Atualmente, estão encarcerados em prisões israelenses 7.500 palestinos. O ministro de Segurança Pública israelense, Tzachi Hanegbi, declarou a jornalistas em Jerusalém que os prisioneiros “podem fazer greve um dia, um mês, ou ainda morrer de fome: não vamos atender às suas reivindicações”.

O Comitê de Famílias de Presos Políticos e Detidos Palestinos da Cisjordânia convoca os ativistas de todo o mundo a se manifestarem no dia 4 de setembro, divulgando a situação dos palestinos presos e exigindo que o governo de Israel ponha fim às violações. O PSTU se soma a esta campanha e pede a todas as entidades e ativistas que enviem faxes e e-mails de protesto contra a forma como têm sido tratados os prisioneiros que se defenderam da criminosa ocupação israelense.

Defendemos que sejam atendidas as seguintes reivindicações dos presos políticos:
1. Aplicação das normas internacionais sobre direitos humanos (4ª Convenção de Genebra; Convenção Internacional sobre Direitos Civis e Políticos; Convenção Internacional sobre Direitos Econômicos, Sociais e Culturais; Convenção contra Tortura e as Normas Mínimas para o Tratamento dos Presos);
2. Autorização para receber visitas de seus familiares;
3. Receber tratamento médico e revisões médicas regulares;
4. Fim da tortura e a todo tratamento cruel, inumano e degradante.

Moções devem ser enviadas para:

Primeiro-ministro Ariel Sharon
E-mail: pm_eng@pmo.gov.il / sar@mod.gov.il
FAX: +972 2 6705475

Ministro da Justiça Yosef Lapid
E-mail: sar@justice.gov.il
FAX: +972 2 6285492

Com cópia para:

Comitê de Defesa dos Direitos Humanos dos Palestinos
pchr@pchrgaza.org

Comitê das Famílias dos Presos Políticos Palestinos
info@palsolidarity.org
Post author Yuri Fujita, da redação
Publication Date