Presidente da OAB estará na reunião com ministro

Dossiê sobre o ataque e mensagens de solidariedade serão entreguesO presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Raimundo Cezar Britto Aragão, fará parte da comissão que se reúne nesta quinta-feira, dia 17, com o ministro da Justiça, Tarso Genro. A comissão irá apresentar ao governo as informações sobre a invasão à sede do PSTU e cobrar providências.

Além de Cezar Britto, a comissão será formada pelo presidente nacional do PSTU, José Maria de Almeida, o Zé Maria, e por Aderson Bussinger Carvalho, membro do Instituto dos Defensores dos Direitos Humanos (IDDH), conselheiro efetivo da OAB-RJ e militante do partido. Na reunião, que ocorre às 15h, será entregue um dossiê, com fotografias, uma análise do roubo e a relação dos itens levados.

Até o momento, nenhum tipo de investigação teve início, mesmo depois que o PSTU qualificou a invasão como um atentado político, baseado no levantamento dos itens roubados e na forma como foi feita a invasão. “Iremos mostrar que os invasores procuraram informações sobre o partido nos computadores. Não foi um roubo comum”, afirma Zé Maria.

CAMPANHA
A iniciativa de reunir-se com Tarso Genro é uma das medidas da campanha que o PSTU tem realizado, em defesa da liberdade de organização e contra a criminalização dos movimentos sociais. Através do portal e por e-mail, o partido tem recebido inúmeras manifestações de solidariedade. Todas serão entregues ao ministro Tarso Genro, como parte do dossiê.

Ao todo, cerca de 150 mensagens foram enviadas nestes primeiros dias de janeiro, inclusive de países como Argentina, Espanha, Itália, Suíça, Portugal, Turquia, Chile, Paraguai, Estados Unidos e Uruguai.

Do Brasil, parte importante das mensagens foram enviadas por sindicatos e assembléias de trabalhadores, como a dos docentes da Universidade Estadual do Ceará, com 245 pessoas. A solidariedade entre a esquerda também tem sido ativa, com mensagens de diversas organizações políticas, como a LER-QI, o PCML, o Coletivo Comunista Internacionalista, Conspiração Socialista, Corrente Comunista Luiz Carlos Prestes e o CEDS, entre outras. Mesmo entre os que defendem o governo se manifestaram, com mensagens de militantes do PT, do PCdoB e de um de seus dirigentes, Altamiro Borges.

Do PSOL, foram enviadas mensagens da executiva do partido de Minas Gerais, de diversos núcleos de base e militantes e de correntes como o Socialismo Revolucionário, a Corrente Socialista dos Trabalhadores (CST) e o Coletivo Socialismo e Liberdade, além de intelectuais, como Leandro Konder e Carlos Nelson Coutinho.

A maior parte das mensagens foi enviada por lutadores dos movimentos sociais, indignados com a invasão. Há até mensagens de militantes do próprio partido, de diversas partes do país, demonstrando a coesão partidária e afirmando que não irão se abater com o ataque.

  • Clique aqui para enviar a sua mensagem
  • Veja as mensagens enviadas por ativistas e organizações políticas brasileiras