Prefeito de Salvador aumenta tarifa de ônibus

No último sábado, 16 de janeiro, a juventude e os trabalhadores de Salvador foram surpreendidos com mais um duro ataque feito pelo prefeito João Henrique (PMDB). O transporte público de Salvador, o mesmo das filas enormes nos terminais, dos ônibus lotados, dos atrasos e congestionamentos, sem contar a falta de segurança, sofreu um reajuste de 4,18% e subiu de R$2,20 para R$2,30.

João Henrique sequer consultou a Câmara Municipal de Salvador sobre o reajuste, que foi imposto sem nenhuma discussão e nem mesmo foi informado no Diário Oficial do município. Em pouco menos de 24 horas, o decreto foi expedido o novo valor da tarifa já estava sendo cobrado em todos os ônibus de Salvador.

Essa foi mais uma boa amostra de como os governantes se movem com bastante agilidade para atender os interesses do empresariado. João Henrique foi eleito tendo sua campanha patrocinada pelo Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Salvador (SETPS) e por isso não mede esforços para satisfazer os empresários. Coisa bastante diferente ocorre quando se trata de atender os interesses da população.

O aumento se deu no período das férias escolares, para impedir que os estudantes se levantassem contra esse tipo de abuso. Esse tipo de atitude surge em razão do medo que a o prefeito tem causado pela lembrança da histórica “revolta do buzú”, que ocorreu em 2003. Na ocasião, os estudantes paralisaram Salvador e serviram de exemplo para outros estudantes de todo o Brasil.

Estamos ao lado da juventude e dos trabalhadores

Contra o aumento da tarifa que vai sacrificar uma fatia ainda maior do orçamento das famílias de trabalhadores de Salvador, a Assembléia Nacional dos Estudantes Livres (Anel) da Bahia participou de um ato contra o aumento da tarifa de ônibus em Salvador

O ato público contou com a participação de outras entidades estudantis como a UNE, UEB, e ABES, reuniu cerca de 60 pessoas e paralisou temporariamente a circulação dos ônibus na Lapa (linha mais movimentada terminal da cidade). A mobilização foi acompanhada de perto pela polícia militar, porém não ocorreram confrontos. Os estudantes distribuíram panfletos e com a ajuda de um carro de som dialogaram com os passageiros que estavam no terminal numa tentativa de explorar a indignação da população e ganhá-los para apoiar o movimento.

A Anel (Assembleia Nacional dos Estudantes – Livre) está convocando a juventude de Salvador para se rebelar contra mais esse golpe. Estudantes, jovens e trabalhadores devem aproveitar a visibilidade de Salvador, devido à realização do Fórum Social Mundial para fazer ecoar dos quatro cantos da cidade nosso grito de repúdio a esse aumento.

A Anel é parte de um novo movimento estudantil que não se vendeu por migalhas como fez a UNE com o famigerado Salvador Card e acredita naquele movimento estudantil da “revolta do buzú”, que confiou fielmente nas forças de nossas lutas para conquistar vitórias e derrotar ataques como o de agora.

  • Cancelamento do aumento da tarifa já!
  • Pelo fim do Salvador Card!
  • Pelo passe livre já!
  • Por um transporte público barato e de boa qualidade para todos!
  • Estatização das empresas de transporte público de Salvador!
  • Leia a nota da Juventude do PSTU contra o aumento da tarifa em São Paulo