Plenária da Oposição Alternativa aprova unidade e ruptura com a CUT

Nos dias 25 e 26 de fevereiro, a Oposição Alternativa, grupo de oposição à maioria da direção da Apeoesp (o sindicato dos professores de São Paulo) realizou uma plenária que discutiu a campanha salarial, as eleições do sindicato e o posicionamento sobre a CUT.

A plenária foi uma grande vitória, pois, além de reunir mais de 200 professores, discutiu e aprovou uma série de resoluções sobre a política que será desenvolvida pela Alternativa durante o 10 semestre de 2005.

Foi aprovado, por exemplo, o desenvolvimento de uma forte intervenção na campanha salarial, que deverá ser unificada com outros setores do funcionalismo. A proposta é utilizar a campanha para denunciar a continuidade da ofensiva do governo Geraldo Alckmin (PSDB) contra a categoria e discutir a necessidade de apresentar uma resposta contundente para recuperar a grade curricular de 1997, conquistar o piso salarial estabelecido pelo Dieese para 20 horas/aula, lutar por um novo plano de carreira e realizar uma campanha contra as reformas Sindical e Trabalhista.

No que se refere às eleições do sindicato, ficou claro para o conjunto dos ativistas da Oposição Alternativa que há a oportunidade histórica de vencer o bloco majoritário – composto pela Articulação Sindical e pelo PCdoB –, impondo um novo projeto sindical para a Apeoesp, que resgate o caráter combativo do sindicato.
Essa avaliação se apóia no desgaste do governo Lula e da atual direção governista do sindicato perante a categoria. Outro elemento importante é a possibilidade de unidade com todos os setores de oposição.

Nesse sentido, também foi aprovado um manifesto que será distribuído para toda a categoria, chamando a unidade da oposição em torno de um programa de oposição de esquerda ao governo neoliberal de Lula e Alckmin. Tal programa deve denunciar e combater as reformas Sindical, Trabalhista e Universitária, expondo a falência da CUT como instrumento de luta da classe trabalhadora.

Ao final um grande debate interno, a plenária também votou a posição da Alternativa sobre a ruptura com a CUT. Avaliando que a central se transformou numa entidade chapa-branca, que segue as ordens do governo Lula sem nenhum questionamento, os ativistas aprovaram por ampla maioria a necessidade da Apeoesp romper com a CUT e construir uma nova alternativa sindical para os trabalhadores, papel esse que a Coordenação Nacional de Lutas, a Conlutas, está cumprindo com grande valor.
A avaliação generalizada foi que a plenária significou uma grande vitória para todos os ativistas da Oposição Alternativa, que está preparada para as gigantescas tarefas que estão colocadas no próximo período.

Post author Edgar Fernandes e Geraldinho, diretores da Apeoesp
Publication Date