Petroleiros acampam na sede da Petrobras pela reintegração dos demitidos

Os petroleiros decidiram realizar um acampamento permanente em frente à sede da Petrobrás, no Rio, pela imediata suspensão de todas as punições políticas e a reintegração plena de todos os trabalhadores demitidos.

Está tramitando no Câmara dos Deputados, em Brasília, um projeto de lei de autoria do então senador José Dutra, hoje na presidência da Petrobras, que anistia os trabalhadores. Projeto semelhante já havia sido aprovado no Congresso Nacional, em 2002, mas, foi vetado por FHC. Os petroleiros estão mantendo um Comitê em Brasília pela aprovação da anistia, por entenderem que este é o único caminho para solução desse impasse. O projeto de lei foi aprovado no Senado, por acordo de líderes, em 2001. Em 2002, foi enviado para a Câmara dos Deputados. Com este movimento, os petroleiros pretendem acelerar o trâmite desta matéria na Câmara, assegurando a sua aprovação na íntegra, garantindo assim que o projeto siga o mais breve para ser sancionado pelo presidente Lula.

Aguardam a reintegração na empresa os petroleiros demitidos nas greves de 1994 e 1995, além de outros que foram demitidos por razão política nos anos anteriores e posteriores a estes movimentos grevistas. Outros, anistiados por Itamar Franco (anistia da “reforma“ de Collor), até hoje aguardam a reintegração. Os petroleiros manterão este “acampamento“ na sede da Petrobras e o Comitê pela Anistia, em Brasília, até a conquista de suas reivindicações.

O telefone para contato com o Comitê Nacional pela Anistia política aos Petroleiros é 0XX 21 25101522.