Pelo Mundo

  • França

    Protesto deixa a Torre Eiffel sem luz

    Nos dias 16 e 17 de junho, a Torre Eiffel e a principal avenida de Paris, a Champs Elysées, ficaram sem luz. Um protesto dos eletricitários franceses contra a privatização da Electricité de France (EdF) – estatal responsável pelo abastecimento de energia – provocou um blecaute de cerca de 10 minutos naquela região. Outros alvos foram escolhidos ao longo da última semana, como a casa do primeiro-ministro Jean-Pierre Raffarin e do presidente Jacques Chirac. Esses protestos fazem parte da greve da categoria que teve o objetivo de evitar a venda da estatal por parte do governo francês. A adesão é de 65% e o fornecimento de energia diminuiu em 30%, segundo a Central Geral dos Trabalhadores da França.

  • Argentina

    Nova rodada de consultas sobre a Alca

    Sob o slogan “Pagando a dívida, negociando a Alca, hipotecamos o futuro”, a Coordenação Argentina de Luta Contra a Alca está organizando sua segunda Jornada de Consulta Popular, entre os dias 10 e 8 de julho, em todo o país. No primeiro plebiscito, realizado no ano passado, aproximadamente dois milhões de argentinos disseram não à Alca. Para este ano, a idéia é superar a votação anterior. Os organizadores pretendem levar a discussão sobre o Acordo de Livre Comércio das Américas ligado aos temas da Dívida, Militarização e Pobreza.

  • EUA

    O arbítrio em Guantánamo

    Segundo o New York Times, o governo americano exagerou sobre os prisioneiros em Guantánamo, Cuba. Como se já não soubéssemos. Mas, quase dois anos e meio depois da prisão e maus tratos, os investigadores só foram capazes de montar casos para processar 15 suspeitos. “Os mais perigosos terroristas do mundo”, como são chamados pelo governo americano, em sua maioria parecem ser recrutas que foram ao Afeganistão apoiar o Taleban ou simplesmente gente inocente presa na guerra. Ao todo há 595 prisioneiros na base de Guantánamo.
    Post author Por Yuri Fujita
    Publication Date