Oposição Bancária do Rio lança chapa de luta

Com apoio e representatividade na categoria, objetivo é resgatar o sindicato do peleguismo da CUTEntre os dias 3 e 7 de abril acontecerão as eleições para o Sindicato dos Bancários da cidade do Rio de Janeiro, uma das principais entidades da categoria em nível nacional.

A Chapa 2, da Oposição Bancária, foi lançada em 21 de fevereiro e sua construção é uma vitória para os bancários, pois significará uma alternativa forte e combativa ao governo neoliberal de Lula e ao sindicalismo chapa branca do PT, PCdoB e da CUT.
Esta chapa representa a unificação de diversos setores que resistem ao atrelamento do movimento sindical brasileiro ao governo federal e aos partidos da sua base de sustentação.

Compõem a chapa bancários militantes do PSTU, PCB (que acaba de anunciar seu rompimento com a CUT), P-SOL, MRB (grupo sindical regional), Reage Socialista, MTL, União Comunista e, principalmente, bancários independentes que se destacaram na organização das greves protagonizadas pela categoria nos três anos de governo Lula.
A companheira Eliana Oliveira, funcionária do Itaú há 20 anos, diretora da Federação dos Bancários do RJ / ES e que rompeu com a Articulação Sindical por discordar do governismo e do “corpo mole” frente aos banqueiros, será a candidata a presidente pela Chapa 2.

No programa da chapa, consta o compromisso de abrir o debate democrático na categoria sobre a desfiliação do sindicato da CUT e a posterior filiação à Conlutas ou a outra organização que seja alternativa à falência dessa central. Durante a campanha eleitoral, a chapa deixará clara sua proposta de que o sindicato se desfilie da CUT.

Outro ponto fundamental no programa é a denúncia da falsa polarização entre a Confederação Nacional dos Bancários (CNB/CUT) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito (CONTEC). A chapa vai debater a proposta de construção de uma entidade intersindical nacional dos bancários, que represente uma alternativa de direção para as futuras lutas dos bancários, sobretudo nas campanhas salariais.

Ainda antes da inscrição da Chapa 2, foram lançados dois manifestos de apoio à Oposição Bancária. O primeiro obteve mil assinaturas de bancários do Banco do Brasil, e o segundo, 500 assinaturas de funcionários da Caixa Econômica Federal.
Outra vitória muito importante foi a inscrição de 29 candidatos de bancos privados, mesmo com a ameaça de demissões e a parceria entre os banqueiros e a atual maioria da diretoria do sindicato.

Afirma o companheiro Cyro Garcia, militante do PSTU e candidato a vice-presidente de bancos públicos pela Chapa 2: “Chamamos todo o movimento sindical, popular e estudantil que se coloca na oposição de esquerda ao governo Lula e ainda se mantém fiel aos interesses dos trabalhadores a apoiar ativamente a Chapa 2. A vitória política dessa chapa representará mais um importante passo no fortalecimento de uma alternativa de direção para a classe trabalhadora e a juventude brasileira”.

  • Veja o pedido de apoio à chapa dos bancários do Rio
    Post author
    Publication Date