Ocupação no interior de São Paulo sofre despejo e deixa 300 famílias sem ter pra onde ir

As famílias foram surpreendidas e os seus barracos derrubados

O despejo violento da ocupação Jardim das Orquídeas, localizada em Várzea Paulista, ocorreu neste dia 14 de janeiro

A Ocupação Jardim das Orquídeas que reúne mais de 300 famílias em Várzea Paulista (SP) sofreu nesta manhã, 14 de janeiro, um despejo truculento e ilegal. O despejo descumpria um acordo realizado no dia anterior entre as famílias e a prefeitura. 

A Ocupação intensificou a mobilização desde que o Judiciário, no ano passado, decretou o despejo para 15 de janeiro. Desde então, as famílias realizaram manifestações para pressionar a prefeitura a negociar uma saída digna para a situação, seja através da aquisição da área ocupada ou de outra na região para construir casas populares por meio de programas habitacionais de baixa renda.

Dando continuidade ao calendário de mobilização, nesta terca-feira, as famílias se mobilizaram novamente e permaneceram por cerca de 9 horas em frente à prefeitura para negociar com o governo de Juvenal Rossi (PV). Ficou acertado ali que dia 15 as famílias sairiam do terreno e seriam encaminhadas para um abrigo da prefeitura. Para as famílias, um acordo ruim e insuficiente e que mesmo assim foi descumprido.

 Nesta terça-feira, 14, as famílias foram surpreendidas por tratores logo cedo. Na madrugada, os barracos foram derrubados e famílias agredidas. O abrigo da prefeitura não é suficiente para abrigar as famílias e elas não têm pra onde ir. 

É preciso denunciar o despejo e a ação da Polícia militar na Ocupação Jardim das Orquídeas e prestar nossa solidariedade às famílias. As famílias já afirmaram que a luta não acabará com o despejo.