O PT não tem limites

Coligações incluem até UDR. Em Unaí (MG), o PT apóia Antério Mânica (PSDB), irmão e sócio do mandante do assassinato dos fiscais do trabalhoNestas eleições, a direção nacional do PT definiu uma estratégia eleitoral para ganhar o maior número possível de prefeituras, buscando as mais amplas alianças. Isto não é nenhuma novidade para quem conhece o PT. Mesmo assim, alguns exemplos são impressionantes.

Em Minas Gerais, está coligado ao PSDB ou ao PFL nas eleições majoritárias (prefeito e vice) em 179 cidades. Todas as coligações foram referendadas pela direção estadual do partido.

Em Unaí, no noroeste do Estado, o PT está coligado ao PSDB, cujo candidato a prefeito, Antério Mânica, é irmão e sócio do suspeito de ser o mandante da chacina dos fiscais da Delegacia Regional do Trabalho (DRT/MG) e que é o maior produtor de feijão do Brasil, Norberto Mânica. A linha de investigação da Polícia Federal, divulgada nos jornais de Minas, aponta para a formação de um “consórcio” de produtores rurais, que teria planejado a execução dos fiscais. Norberto Mânica é o braço econômico da poderosa família e Antério é o braço político. A esquerda de Minas estava ciente disso, mesmo antes da conclusão do inquérito da polícia e, ainda assim, o PT se decidiu por essa coligação.

Em Porto Nacional, Tocantins, Paulo Mourão se filiou ao PT e é candidato a prefeito. Esse personagem é nada menos que o fundador da União Democrática Ruralista (UDR) na região. A UDR é a organização de ultra-direita dos latifundiários, ligada ao assassinato de muitos sem-terra no país. Neste caso, é o próprio PT quem tem como candidato um representante de UDR.

No Estado do Rio de Janeiro, Lindberg Farias, candidato do PT em Nova Iguaçu, tem como vice o deputado federal Itamar Serpa, do PSDB. Na coligação ainda estão o PFL e o PCdoB. Lindberg, ex-presidente da UNE, já foi do PCdoB e esteve no PSTU, rompendo para entrar no PT, na campanha de Lula. Atualmente é um exemplo do oportunismo vigente nesse partido.

Ainda naquele estado, em Niterói, o atual prefeito e candidato a reeleição, Godofredo Pinto (PT), tem na sua coligação o PFL, o PPS e o PCdoB. Na cidade do Rio de Janeiro, o candidato Jorge Bittar, do PT, fez uma coligação, tanto para prefeito como para vereadores, com o PTB, que traz como candidato o filho de Jair Bolsonaro, da ultra-direita militar.

Em São José dos Campos, São Paulo, o candidato petista às eleições, Carlinhos de Almeida, tem em sua coligação o PFL, o PTB e o PTC.
Post author
Publication Date