Nota para a imprensa sobre a morte de Martinho Alberte

A respeito da morte do companheiro Martinho Domingos Valente Alberte, maquinista de trens do metrô de Belo Horizonte (CBTU), atropelado por um trem na estação Eldorado do metrô na última quinta-feira, 4 de Novembro, o PSTU gostaria de esclarecer alguns fatos:

1. Martinho sofreu um acidente de trabalho, de total responsabilidade da CBTU
Ao contrário do que vem sendo divulgado pela empresa, Martinho não estava deixando o serviço. Ele ainda tinha mais uma viagem a fazer. Portanto, o acidente aconteceu durante o seu horário de serviço, sendo de total responsabilidade da empresa;

2. Martinho não estava caminhando sobre os trilhos
Diferente da versão divulgada, Martinho não estava caminhando sobre os trilhos, mas ao lado dos trilhos, em procedimento comum entre os funcionários. O problema é que a área é totalmente insegura, com pouca iluminação e sem equipamentos de segurança, fato que é de conhecimento da empresa há anos;

3. Não há local adequado para deslocamento dos funcionários
Ao contrário da versão da empresa, não há local adequado para o deslocamento dos funcionários no pátio de manobras dos trens. O local existente é tomado pelo mato, barro e bastante sujo, e só é utilizado quando os funcionários estão deixando o serviço, o que não era o caso;

4. Não há ambulância ou pronto atendimento no local
Martinho ainda estava com vida quando foi encontrado por seus companheiros de trabalho, mas ele só foi socorrido pelo corpo de bombeiros, pois não há ambulância nem pronto atendimento no local;

Diante destes fatos, o PSTU exige a apuração do acidente, para esclarecer as circunstâncias em que se deu a morte de Martinho, para punir os responsáveis, e para evitar que acidentes como este voltem a acontecer.

Belo Horizonte, 6 de Novembro de 2010