No Maranhão, Dia Internacional da Mulher foi lembrado com luta e arte

No sábado, 6 de março, aconteceu o Ato-Show “Mulheres em Luta: por um 8 de março classista e feminista!” no Quilombo Cultural Lagoa Amarela (Reviver). Foi um sucesso bastante participativo, organizado e dirigido por mulheres.

Um ponto alto da atividade foi a exibição do curta-metragem Acorda Raimundo, que denuncia o machismo na relação homem/mulher, discutindo os papéis sociais construídos. Após o filme, houve comentários feitos por Danúbia (Quilombo Urbano) e Rielda (ANEL), seguidos de várias falas de mulheres e homens. O vídeo mexeu muito com os presentes.

Também houve a apresentação do grupo QI Engatilhado. Preta Lu cantou uma música bastante crítica em relação à situação das mulheres da periferia. Mano Magrão cantou uma linda música em homenagem à sua mãe, “Dona Moça”.

A companheira Lucelma Braga (APRUMA) recitou a bonita poesia de Elisa Lucinda, “Aviso da Lua que Menstrua”. Teve, ainda, a participação maravilhosa de Luciana Pinheiro, cantando músicas fortes de mulheres. O show terminou com o Gíria Vermelha, com a participação de Luciana Pinheiro. Foi emocionante ver e ouvir todos cantando a música “Baile das Rosas”.

Na segunda-feira, 8, ocorreu a mesa redonda “Cem Anos de Luta Internacional da Mulher: história, conquistas e Emancipação da mulher trabalhadora”, com a representação das Entidades: APRUMA, Quilombo Urbano, GT de Educação/Conlutas, SINTRAJUFE, ANEL e Bancários.