Nasce a Esquerda Unida

No Paraguai, a maioria das organizações sociais e políticas de esquerda conseguiu conformar uma frente que possibilitará uma participação conjunta nas próximas eleições. Depois de longas negociações, se formou a Esquerda Unida (EU), integrada por oito organizações e encabeçada pelo PT, seção da LIT-QI no país.
O PPL (Partido Pátria Libre) se reivindica marxista-leninista e também se nutre das idéias de Fidel Castro, Che Guevara e da Teologia da Libertação. No ano passado, conseguiu sua legalização depois de juntar umas 15 mil assinaturas. EU se inscreve com esta legalidade.

A CGC (Corrente Gremial Camponesa) é um setor da Mesa Coordenadora de Organizações Camponesas. Agrupa mais de vinte organizações camponesas e cumpriu um papel de primeira ordem nas mobilizações de maio-junho de 2002.

Os grupos MIL (Movimento pela Igualdade e a Liberdade), do estado de Cordillera, e M-19 (Movimento Indianista 19 de abril), de uma zona do Chaco Paraguaio.
O Movimento pela Recuperação Democrática do Partido Comunista Paraguaio, é uma fração do PCP que enfrentou a posição da cúpula desse partido de se retirar da EU ao não ser eleito seu secretário geral como candidato a presidente.

As listas de EU também estão compostas por dirigentes de sindicatos de base que estão formando a CSS (Corrente Sindical e Social). Em nível urbano, EU cresceu com a incorporação de dirigentes de assentamentos e ocupações de terrenos e dirigentes vizinhos da Área Metropolitana de Assunção, como a Frente Vizinhal e Popular.
Três importantes partidos da esquerda decidiram não integrar EU. O Partido Convergência Popular Socialista, o Partido Comunista Paraguaio (PCP), o Movimento Popular Revolucionário Paraguai Pyahurá, partido de tendência maoísta. Porém, setores sociais influenciados por estes partidos se aproximaram da EU e se somam aos comitês eleitorais.

Esta confluência de organizações com um relativo enraizamento faz da EU um importante pólo na vida política e social do Paraguai. É um acordo eleitoral que apresenta uma alternativa de esquerda em nível nacional com um programa anti-imperialista e classista. Dentro do quadro de aguda crise política em curso, pode permitir reagrupar setores de esquerda, conformar um pólo do ativismo das organizações operárias e camponesas e contribuir para o desenvolvimento da direção revolucionária no Paraguai.

O objetivo do PT dentro de EU é abrir um rico processo de discussão sobre a necessidade do partido revolucionário, operário e internacionalista, um sólido partido de vanguarda que tenha a estratégia de desenvolver as mobilizações rumo à conquista do poder pelos trabalhadores e camponeses, estendendo a revolução à escala regional e internacional.
Post author
Publication Date