Não vamos aceitar mais um aumento da tarifa de transporte

Juventude PSTU-ABC

No dia 16 de janeiro, os moradores do ABC foram surpreendidos com mais um aumento da tarifa de ônibus operadas pela EMTU. Esse aumento prejudica ainda mais a vida dos trabalhadores.

O consórcio intermunicipal do Grande ABC, presidido pelo Prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando (PSDB), está para aprovar o aumento da tarifa de ônibus dos sete municípios do ABC – Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra- com uma referência da tarifa em R$ 4,50. O fato ocorreu dias depois do Governador Alckmin e o Prefeito João Dória, ambos do PSDB, aprovarem o aumento das tarifas de ônibus, metrô e trem de São Paulo.

A lembrar que no ano de 2013 o aumento era pautado pelo consórcio em cima da unificação do valor das tarifas, permitindo uma possível integração entre ônibus, trem e trólebus, algo que não aconteceu mesmo depois de diversos aumentos. Entretanto, integração também não deve justificar o aumento!

Se não bastasse isso, a Metra, empresa que opera o corredor de ônibus e trólebus, entre o ABC Paulista e as zonas Leste e Sul de São Paulo, já planeja um aumento a partir de julho deste ano.  Isso traz para nós algumas lições. Todos os governos estão comprometidos com a garantia do lucro dos empresários, pois são eles que financiam as campanhas eleitorais dos grandes partidos políticos, como exemplo no ABC, onde se tem a máfia do transporte.

Assim, a vida dos trabalhadores fica cada vez mais difícil. Com o menor aumento do salário mínimo dos últimos anos e as mais de 233 mil pessoas desempregadas no Grande ABC, pagar por essa tarifa torna-se impossível.

Em vez do governo ter políticas para dar assistência à população, enfrentamos a redução de nossos direitos, por isso, é preciso romper com a lógica de ver o sistema de transporte como uma garantia de lucro para empresários.

Podemos derrotar esse aumento!
Não podemos aceitar esse aumento. É preciso se organizar nas escolas, sindicados, comitês e bairros contra esse absurdo! Em São Paulo e em outras capitais do país, trabalhadores se organizam em atos contra o aumento, aqui também não podemos aceitar calados. Todos devem ter o direito à locomoção, com um sistema de transporte verdadeiramente público. Por isso, o PSTU defende a estatização de todo o sistema de transporte, sem nenhuma indenização para as empresas e que o lucro seja revertido para a melhoria e ampliação das linhas.

Contra o aumento da tarifa !

R$ 4,50 é um roubo !

Passe livre para estudantes e desempregados!

Redução da tarifa rumo à tarifa zero!

Estatização dos transportes públicos!

Transporte coletivo não é mercadoria!