Na Copa, PSTU e Zé Maria lançam campanha por soberania

Pré-candidato denuncia domínio de multinacionais e pagamento das dívidas. Partido produz adesivos para os jogos e vídeo na internet, defendendo segunda independênciaO PSTU lança uma campanha que combina a torcida pela seleção com o debate sobre o futuro do País. “Torcer pelo Brasil é torcer por um país soberano, livre das dívidas e da ditadura do mercado”, defende Zé Maria, pré-candidato do partido à Presidência.

O partido produziu adesivos para os militantes usarem nos dias de jogo e cartazes com a campanha: “Torcemos pelo Brasil. Lutamos pela soberania”. O manifesto termina com o convite “Venha torcer e lutar com o PSTU”, demonstrando que foi-se o tempo em que a esquerda dividia-se entre torcer ou não, com receio de que vitórias da seleção fossem usadas como trunfo pela ditadura.

O partido aponta as remessas de lucro das multinacionais e o pagamento dos juros da dívida como principais responsáveis pelo domínio sobre o país. O site da pré-candidatura traz um vídeo com animação e critica: “Algumas multinacionais chegam até a usar verde e amarelo, mas saqueiam nossos recursos naturais e destroem a natureza”.

O partido defende o controle total sobre as riquezas, como por exemplo, o petróleo que vem sendo descoberto na camada do pré-sal. “Temos de colocar todo o petróleo a serviço dos trabalhadores e do povo pobre e não das multinacionais do setor”, afirma Zé Maria. “Nós torcemos pelo Brasil na Copa, e depois dela por um Brasil livre, independente e soberano. Lutamos por um país que, infelizmente, é desigual e ainda tem poucos orgulhos fora o futebol. Esse Brasil que tem enormes riquezas, mas que seu povo não pode usufruí-las”, conclui o metalúrgico, cuja candidatura deve ser confirmada em convenção nacional, no dia 26 deste mês, em São Paulo.