Movimentos sociais realizam “trancaço” nas ruas de Aracaju

Manifestantes queimaram um boneco que representava o prefeito de Aracaju
Roberto Aguiar

Empresários querem reajuste para R$2,45. Movimentos sociais realizam novo protesto e exigem congelamento em R$2,10Ainda eram 6h, trabalhadores e estudantes concentravam-se na Praça da Bandeira para mais um ato contra o aumento da passagem de ônibus. “R$2,45 é um assalto, esse preço é imoral”, disse Zeca Oliveira, estudante de Jornalismo da Universidade Federal de Sergipe e membro da Assembleia Nacional dos Estudantes Livre (ANEL). A manifestação foi organizada por várias entidades sindicais, estudantis e partidos de esquerda (PSTU, PSOL e PCB).

Os manifestantes realizaram um “trancaço” no cruzamento de duas principais avenidas da capital sergipana. Depois seguiram em passeata pela Avenida Barão de Maruim até o terminal de integração no centro da cidade. “A gente fechou por trinta minutos o trecho entre as avenidas Hermes Fontes e Desembargador e vamos seguindo até a Barão de Maruim com a Ivo do Prado, para que o movimento ganhe mais força e consigamos modificar esse cenário que se repete a cada ano entre empresários e SMTT (Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito)”, disse Zeca Oliveira.

Antes de sair em caminhada, foi queimado um boneco representando o Prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB). “O Prefeito é simplesmente um boneco de fantoche nas mãos dos empresários. Todo ano é a mesma coisa, as passagens são reajustadas atendendo a solicitação dos empresários, que são financiadores das campanhas eleitorais milionárias. O aumento do preço da passagem é o retorno do investimento feito. Enquanto não acabar com esse balcão de negócios, todo inicio de ano assistiremos esse filme”, afirmou o representante da ANEL.

PSTU na luta
O PSTU tem tido um forte presença nas mobilizações. Além do congelamento do preço da passagem, o partido tem apresentado a necessidade da municipalização do transporte. “A preocupação dos empresários é com o lucro e é justamente aí que temos que atacar. O transporte público é um serviço básico para a população. Tirando o lucro do caminho, é possível oferecer um serviço de boa qualidade, melhores salários e condições de trabalho aos rodoviários. E mais, pode-se assegurar passe livre para os estudantes e desempregados”, afirmou Vera Lúcia, ex-candidata ao governo de Sergipe.

Abaixo assinado
Na última sexta-feira, 21, foi lançado um abaixo assinado exigindo ao Prefeito o congelamento da passagem em R$2,10, a apresentação das planilhas de lucros dos empresários e audiência pública para debater o tema.

Os movimentos sociais seguirão com os protestos. A manifestação realizada nesta terça-feira, 25, foi uma alerta ao prefeito e empresários, pois como diz uma das palavras de ordem mais agitada na manifestação: “Se a passagem aumentar, a cidade vai parar”.

LEIA TAMBÉM:

  • Estudantes param as ruas de Aracaju contra o aumento da passagem