Movimentos fazem ato no metrô de São Paulo contra violências às mulheres

Manifestação ocorre às 6h no metrô Barra Funda e às 17h na estação da SéDiante dos casos cada vez mais freqüentes de abusos às mulheres no transporte público, movimentos e organizações feministas organizam nesse dia 20 em São Paulo um dia de luta contra a violência de gênero. O protesto é organizado pela Comissão de Mulheres do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, o Movimento Mulheres em Luta (MML), Pão e Rosas (LER-QI), Oposição Bancária e pela Secretaria de Mulheres do PSTU.

Segundo nota conjunta divulgada pelas organizações, “qualquer um que circula pelo metrô de São Paulo, sabe exatamente o que significa sufoco. E as mulheres podem dizer o quanto esta situação se torna ainda mais insuportável em função do machismo e da degeneração das relações humanas. Para além do desconforto e do empurra-empurra, mulheres, de todas as idades, são obrigadas a conviver com homens se esfregando em seus corpos e as apalpando das formas mais nojentas” .

Agressões
Os abusos sexuais cometidos no metrô da capital paulista são uma mostra do drama sofrido por milhões de mulheres que utilizam diariamente o sistema público de transporte. A estação Barra Funda foi palco de uma dessas agressões, em julho passado, quando uma estudante de Direito foi violentada. O ataque à jovem, que ocorreu às 8h, e foi o 43° episódio de agressão sexual ocorrido no interior do sistema metropolitano apenas este ano.

O criminoso, por sua vez, saiu impune. Apesar de ser detido pela Delegacia de Polícia do Metropolitano (Delpom), ele foi autuado apenas por “importunação ofensiva ao pudor”, que não configura crime.

O ato exige mais segurança às mulheres e punição aos agressores. A manifestação ocorre às 6h na estação do metrô na Barra Funda e às 17h no metro da Sé.

LEIA MAIS

  • Enquanto Globo faz piada, aumentam os ataques a mulheres no metrô

  • Blog do Movimento Mulheres em Luta