Mobilizar o país e Sergipe no dia 17 para barrar os leilões do petróleo

Vera Lúcia

Dilma, PT e PCdoB: suspendam os leilões; o Pré-sal é do povo brasileiro e não pode ser entregue às multinacionais!

O governo Dilma vai cometer o maior crime contra o povo brasileiro no dia 21 de outubro, data que está marcado o leilão do Pré-sal. A área que será leiloada, o Campo de Libra, é a maior área de petróleo já descoberta pela Petrobras. Segundo dados do governo, Libra tem um valor estimado de 1,5 trilhões de dólares e será leiloado às multinacionais estrangeiras pela bagatela de 15 bilhões de dólares. Ou seja, menos de 0,1% do seu valor. Transformado em valores, essa será a maior entrega do patrimônio público, muito superior ao que FHC (PSDB) entregou quando privatizou a Vale do Rio Doce, a telefonia e as empresas de eletricidade.

O leilão contribui para piorar nossas vidas
Se o leilão acontecer, o Brasil importará cada vez mais gasolina, diesel e uma infinidade de produtos derivados do petróleo que são necessários às nossas vidas. A consequência é que o povo, as donas de casa, os trabalhadores, pagarão mais caro pelo gás de cozinha, remédios, alimentos, eletrodomésticos, vestuário, transporte e tudo que seja derivado do petróleo.

Outra consequência é a privatização da Petrobras. A maior estatal brasileira vem sendo sucateada, endividada e entregue ao capital privado. Com o leilão, o governo Dilma quer dar o golpe de misericórdia, fortalecerá as multinacionais e enfraquecerá ainda mais a Petrobras para depois usar o discurso da ineficiência e privatizá-la de vez.

Que o PSDB, PMDB e demais partidos da direita queiram o leilão do pré-sal não é novidade. Eles sempre representaram e defenderam a burguesia. O que os trabalhadores precisam saber é que o PT e o PCdoB estão fazendo o mesmo que eles. O governo Lula, durante seus dois mandatos, entregou ao capital privado 677 blocos de petróleo, período em que a Agência Nacional do Petróleo, entidade que organizou os leilões, foi presidida por Aroldo Lima (PCdoB). Dilma já entregou 142 blocos e entrará para a história como o governo que entregou uma das maiores áreas petroleira do mundo, o Pré-sal brasileiro, caso esse leilão não seja cancelado.

Para se ter uma ideia dos números da entrega do PT e PCdoB, FHC entregou 88 blocos. Isso porque na época de FHC o movimento sindical e o MST se levantavam,impedindo uma maior entrega. No governo do PT e PCdoB em parceria com o PMDB e outros partidos da burguesia, eles não cumprem o mesmo papel. Pelo contrário, facilitam a maximização da entrega de blocos exploratórios, inclusive de campos colossais de petróleo, como é o caso de Libra.

Atualmente, Dilma justifica os leilões do petróleo com o argumento de que o país e a Petrobras não têm recursos para explorar o Pré-sal. Uma grande mentira! O governo tem dinheiro. O problema é que vai tudo para o bolso dos banqueiros nacionais e internacionais, para juros e amortizações da dívida pública. Só em 2012, Dilma gastou R$ 753 bilhões com a dívida. Em 2013, a perspectiva é gastar mais de R$ 1 trilhão.

Se o governo parasse de pagar a dívida, nos próximos oito anos, por exemplo, acumularia mais de R$ 8 trilhões, dinheiro que poderia ser investido pra explorar a riqueza do Pré-sal. Portanto, dinheiro para explorar o Pré-sal tem. A questão é que o governo quer fazer um caixa para seguir pagando regularmente a dívida aos banqueiros. O compromisso com os banqueiros e o imperialismo é tanto que mesmo depois de os EUA espionar informações sobre o Pré-sal, a presidente Dilma não fez absolutamente nada, além de um questionamento em seu discurso na assembléia da ONU.

Petroleiros vão à greve
Para barrar esse crime lesa-pátria, que atenta contra a soberania nacional e o povo brasileiro, os trabalhadores petroleiros preparam greve a partir do dia 17 de outubro. Essa mobilização precisa se somar à greve dos profissionais da educação do Rio de Janeiro e outros setores sociais em luta. A greve dos petroleiros é parte da campanha salarial do setor, mas principalmente da luta para barrar o leilão do Pré-sal. E essa luta é de todos aqueles que têm o compromisso de defender os interesses dos trabalhadores, da juventude e do povo.

Por isso, o MST e sua juventude, o Levante Popular, devem entrar com força no dia 17. O mesmo devem fazer CUT, CTB e UNE. Como são entidades governistas, é preciso que rompam com o governo e se coloquem ao lado dos interesses do povo. Em Sergipe, necessitamos fortalecer o Comitê Estadual contra os leilões, que apoiará a greve dos petroleiros.

Somente uma forte mobilização nacional pode fazer a presidente Dilma desistir de entregar nosso Pré-sal às multinacionais, e nesse sentido, a greve nacional dos petroleiros tem enorme importância. É preciso retomar as Jornadas de Junho e voltar às ruas! A CSP-Conlutas, a ANEL, o Movimento Mulheres em Luta (MML), que aprovou em seu I Encontro Nacional participar do dia 17, o PSTU, já estão nessa empreitada. Mas é preciso somar forças, reunir a todos e todas que estão indignados com a entrega do nosso petróleo às multinacionais.

Nós do PSTU em Sergipe chamamos a população a exigir do governo de Marcelo Déda e Jackson Barreto, que publicamente façam um apelo à presidente Dilma a suspender os leilões do petróleo que entregam não somente o pré-sal, mas também o petróleo de Sergipe, afetando a economia do Estado. Também conclamamos aos deputados federais e estaduais, que façam a mesma coisa. Basta de silêncio! Esses senhores não podem ficar omissos porque os leilões do petróleo prejudicam a vida do nosso povo e dos milhares de trabalhadores da Petrobras, sejam concursados, sejam terceirizados.

De nossa parte, estaremos colocando todas as forças de nosso partido nesta luta. Estamos lado a lado na greve dos petroleiros e chamamos toda à população a apoiar e participar das ações de rua contra os leilões do petróleo.

Acesse o site do PSTU-SE
Curta a página do PSTU-SE no Facebook