Mobilização garante liberdade para Paulinho

Um dos principais dirigentes dos Condutores em Jacareí, o companheiro Paulo Ferreira da Silva, o Paulinho, conseguiu nesta terça-feira, dia 24, a liberdade provisória.

O hábeas corpus foi conseguido pelos advogados do sindicalista no Tribunal de Justiça.

Essa vitória ocorreu após várias manifestações realizadas na última semana. Mas é preciso manter a mobilização para garantir sua liberdade e o reconhecimento de sua inocência.

“Queremos a punição dos culpados pelo assassinato, mas não vamos aceitar que um trabalhador inocente seja usado como bode expiatório”, ressaltou o coordenador da CONLUTAS na região, José Donizete de Almeida.

Paulinho estava preso injustamente há uma semana, acusado de participar do assassinato do presidente da OAB de Jacareí, Ângelo Maria Lopes, ocorrido em 9 de junho do ano passado.

A acusação contra Paulinho se deu simplesmente porque, no dia do crime, o companheiro dirigia uma greve na JTU (Jacareí Transportes Urbanos), empresa na qual Ângelo Lopes era advogado.

Mas nem esse argumento fajuto tem consistência. Primeiro, porque, no dia do assassinato, Paulinho estava na greve e, segundo, Ângelo Lopes nem era o advogado que representava a empresa nas negociações. Um outro advogado falava em nome da JTU nas negociações.