Ministério Público pode ser alvo do governo por ação contra Meirelles

Lula, FHC e outros cardeais republicanos discutiram, no vôo que os levou ao funeral do papa, medidas para conter investigaçõesDentro do avião que levou a comitiva presidencial para os rituais funerários do papa João Paulo II, na semana passada, as conversas, a julgar pelos relatos da imprensa, não foram nada enfadonhas.

Entre os principais assuntos em pauta, estiveram a preocupação com os recentes escândalos de corrupção envolvendo o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles.

O presidente da República, Luiz Inácio da Silva; o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB); o da Câmara, Severino Cavalcanti (PP); o do Supremo Tribunal Federal, Nelson Jobim, e os ex-presidentes José Sarney e FHC manifestaram grande preocupação com as denúncias do Ministério Público (MP) contra Henrique Meirelles.

Segundo o jornal carioca O Globo, o que mais perturba os cardeais republicanos é que as acusações, definida por eles como abusos do MP, possam atrapalhar a imagem do Brasil junto aos investidores internacionais. Para eles, uma saída de Meirelles, acusado de lavagem de dinheiro, do Banco Central poderia ter desdobramentos imprevisíveis para a economia do país.

Lula disse estar decepcionado com a atuação do MP, e todos disseram que há um componente de “irresponsabilidade” nas investigações do MP. Antigas falcatruas realizadas nos governos anteriores foram lembradas como exemplos de tal irresponsabilidade investigativa e Fernando Henrique saudou o ato de Lula que deu status de ministro – e imunidade – ao presidente do Banco Central.

Com resultado da conversa, foram encaminhadas sugestões ao governo Lula para retomar projetos que coibam as investigações do MP, como a “Lei da Mordaça”, que limita as investigações de corrupção no país.

Segundo o procurador Luiz Francisco de Souza, em entrevista ao Opinião Socialista 168, o projeto é fascista: “Todos os promotores, policiais, membros do Judiciário, do Ministério Público e do Tribunal de Contas seriam atingidos. Se qualquer um desses souber de uma informação, uma falcatrua, e passar pra imprensa, pro povo, será demitido, paga duzentos mil reais de multa, pode pegar três anos de cadeia.“

O projeto da Lei da Mordaça está no Congresso e pode ser votado a qualquer momento. Com ele, as denúncias diminuem, a imprensa tem o seu trabalho limitado e os corruptos agradecem. É o governo do PT tentando reprimir aqueles que investigam, para livrar a cara dos corruptos investigados.

ARQUIVO