Militante do PSTU da Paraíba é ameaçado por sindicalista da Articulação

Pelego, com capangas, ameaça ‘quebrar assembléia´ para proteger diretora investigada por corrupçãoNa quarta-feira, 25 de maio, o militante do PSTU e ex-candidato a prefeito de João Pessoa, Antonio ‘Radical’, foi ameaçado – juntamente com outras pessoas – pelo sindicalista Francisco de Assis Pereira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de João Pessoa e conhecido como “Chico do SINTRAM”. Ele também é diretor da FESPM (Federação Estadual dos Servidores Públicos Municipais da Paraíba) e da CONFETAM (Confederação Nacional dos Trabalhadores Municipais), ambas ligadas à CUT.

Os fatos
O SINFESA – Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Santa Rita -, cidade na Grande João Pessoa, realizou Assembléia Geral no dia 25 de maio, para avaliar a Campanha Salarial e apreciar o relatório de uma Comissão de Sindicância, criada para investigar denúncias de um jornal local, que dizia que a diretoria do Sindicato havia gasto cerca de R$ 600 mil no período de janeiro a agosto de 2004.

Esta Comissão foi criada na assembléia do dia 22 de março por proposta dos militantes do PSTU, com cinco pessoas da base da categoria, para analisar a denúncia. Nesse sentido, os dirigentes sindicais citados na matéria (o presidente e a tesoureira), o contador do sindicato e o editor do jornal que fez a denúncia foram ouvidos pela Comissão, tendo seus depoimentos gravados. Porém, para a Comissão concluir seus trabalhos, faltou realizar uma auditoria independente para analisar os balanços e balancetes fornecidos à Comissão pelo Sindicato.

Assim, na Assembléia do dia 25 de maio, a Comissão elaborou um relatório provisório, aonde pedia autorização à Assembléia para contratar um auditor independente e também propunha o afastamento temporário da tesoureira do sindicato, aliada política de “Chico do Sintram”.

Ao iniciar-se a Assembléia, “Chico do Sintram” chega acompanhado de cerca de 10 capangas e afirma, com todas as letras a um dirigente da CUT Estadual presente à Assembléia, Feitosa, que “se houver qualquer punição a Vânia (tesoureira do SINFESA e sua aliada política), vou quebrar a Assembléia no cacete”. Ao saber disso, diretores do sindicato tentaram demovê-lo dessa idéia, mas ele reafirmou a intenção. A ameaça foi denunciada às 200 pessoas presentes que, imediatamente, exigiram a retirada de “Chico do Sintram” da Assembléia.
Porém, ele e seu bando só se retiraram quando foi chamada a PM que, com três viaturas, expulsou-os da Assembléia e garantiu a realização da mesma até seu final. Após o término da Assembléia (que aprovou o afastamento da tesoureira do sindicato até o encerramento das investigações da comissão), os diretores registraram queixa contra “Chico do Sintram”.

“Chico do SINTRAM” é membro da Articulação Sindical e um dos mais conhecidos pelegos do movimento sindical paraibano. Mas até agora conhecíamos apenas esse lado pelego de “Chico do SINTRAM”. A partir do dia 25 de maio, passamos a conhecer sua outra face, só agora revelada: a de gangster do movimento sindical.

Sua atitude na Assembléia do SINFESA revela o desespero de quem nunca se deparou com uma oposição na sua área de atuação e, ao mesmo tempo, tentar a todo custo manter seus aliados políticos nas estruturas sindicais para, com isso, continuar “mamando” nas tetas sindicais.

Se “Chico do SINTRAM” tivesse cumprido sua ameaça, poderia ter havido um tumulto de repercussões inimagináveis, pois o ambiente aonde se concentravam cerca de 200 pessoas era muito pequeno e apertado.

Os trabalhadores e trabalhadoras não podem mais aceitar atitudes deste tipo, de pessoas que só pensam nos seus interesses e não nos da categoria. Pessoas como “Chico do SINTRAM” querem, a todo custo, manter seu padrão de vida à custa de negociatas com os patrões e prefeitos municipais. Pouco importa a pessoas deste tipo a situação de trabalho e de vida a que são submetidos os trabalhadores e trabalhadoras.

Por isso, DEVEMOS repudiar a atitude de “Chico do SINTRAM” e exigir que a CUT e o PT, partido ao qual este senhor é filiado, tome uma posição firme com relação a este fato. Não é possível que um dirigente estadual e nacional como “Chico do SINTRAM”, para defender seus interesses e de seus aliados, ameace uma assembléia inteira de “quebrá-la no cacete” para preservar seus torpes interesses.

Neste caso, fui ameaçado por “Chico do SINTRAM” e por isso me dirigi até a delegacia mais próxima para prestar queixa e tudo que venha acontecer comigo é de responsabilidade de “Chico do SINTRAM”. Gostaria de, nesse momento, contar com o apoio e solidariedade não apenas do PSTU como dos (as) militantes sérios deste país em relação a este fato.