Metroviários aprovam greve de 24h neste dia 15. Foto Sindicato dos Metroviários

Assembleia realizada pela categoria metroviária de São Paulo na noite desta terça-feira reafirmou o indicativo de paralisação para esta quarta, dia 15, Dia Nacional de Luta e Paralisação contra as reformas da Previdência e trabalhista. Os metroviários paralisarão da 0h do dia 15 até a 0h do dia 16.

A categoria metroviária demonstra mais uma vez a sua força e organização, entendendo que a luta contra a reforma da Previdência é uma luta de todos os trabalhadores, e por isso vamos junto com outros sindicatos organizar essa greve“, afirma Raimundo Cordeiro, Coordenador do Sindicato dos Metroviários de São Paulo.

Além de se juntarem à paralisação que ocorre em todo o país, com força sobretudo no setor dos transportes, os metroviários também participarão do ato unificado convocado pelas centrais sindicais para às 16h na Avenida Paulista. Os metroviários lutam ainda contra a privatização do Metrô levada a cabo pelo governo Alckmin.

Essa reforma afeta principalmente as mulheres ao igualar a idade de aposentadoria para homens e mulheres, principalmente as mulheres negras que estão mais submetidas à informalidade, e que ainda sofrem com a dupla jornada“, opina a metroviária Vania Maria, diretora do sindicato e da Secretaria de Combate ao Racismo.

Além do rechaço às reformas da Previdência e trabalhista, a assembleia foi marcada pelo repúdio ao governo Temer, ecoando o grito de “Fora Temer” pelo ginásio tomado por mais de 600 trabalhadores do metrô.

Redação