Mercedes de São Bernardo anuncia férias coletivas para 7 mil operários

Todos os trabalhadores da unidade de São Bernardo do Campo vão parar entre 23 de fevereiro e 4 de março. O motivo é conhecido: a crise econômica.A Mercedes-Benz anunciou nesta quinta-feira que vai dar férias coletivas para 7 mil funcionários – número total de efetivos – entre os dias 23 de fevereiro e 4 de março. A informação é do Diário do Grande ABC. O motivo alegado pela Mercedes foi que precisa ajustar a produção, como todas as outras empresas que está usando o expediente das férias coletivas.

No ano passado, a Mercedes investiu R$ 1,5 milhão para ampliar a produção. Ainda em 2008, a empresa foi líder em produção e vendas no setor de caminhões, superando em 12% a produção de 2007. Mas, com a crise, a procura por este tipo de veículo também diminuiu.

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC não concorda com o número de trabalhadores atingidos, mas diz que é uma forma de evitar demissões. Já para o grupo de oposição ligado à Conlutas, Ferramenta de Luta, as férias podem ser uma prévia de milhares de desligamentos. Segundo Rogério Romancini, que faz parte do Ferramenta de Luta, as férias coletivas estão sendo utilizadas sob a justificativa de garantir o emprego, mas não é isso que está acontecendo. Ele é mealúrgico da Volkswagen e, em fevereiro de 2007, foi demitido por perseguição política.

“O desemprego já deu um salto neste começo de ano no ABC, mesmo com assinatura dos tais acordos”, diz Rogério. Ele acredita que o próximo passo da empresa pode ser demitir os cerca de dois mil trabalhadores temporários e aposentados que hoje a empresa mantém. “Por enquanto, são as férias coletivas e PDVs [Programa de Demissões Voluntárias], mas caso a crise se estenda, a empresa pode querer mexer com estes companheiros”, opina.

Para Rogério, a melhor saída é resistir, não negociar direitos e exigir a estabilidade no emprego. Na próxima quinta-feira, 12 de fevereiro, haverá um protesto em frente à Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp), na avenida Paulista. O Ferramenta está convocando e organizando trabalhadores do ABC para participarem.