Massificar o poste

Os cartazes com as caras e nomes dos deputados de cada estado que estiveram com o governo, estão na praça.

Desde o último dia 6, os servidores têm realizado atos em todos os estados, inaugurando os “cartazes”, enterrando o governo e também os traidores do PT e PCdoB, não poupando inclusive os 8 que se abstiveram diante desse monumental ataque aos trabalhadores.

Em Alagoas, eles “expulsaram” José Genoíno. No Rio, realizaram uma manifestação no Buraco do Lume, local de comício semanal dos deputados petistas, especialmente dos da “esquerda” do PT. O deputado Chico Alencar e o ex-deputado Milton Temer enfrentaram-se com os manifestantes, que os chamava de traidores sem parar. Em assembléia, os professores estaduais votaram por colocar todo mundo no poste, incluindo Chico Alencar.

Em São Paulo – além de realizarem ato para inaugurar o cartaz dos deputados -, os professores em assembléia da Apeoesp votaram confeccionar cartazes com todos que os traíram, incluindo os do grupo dos 8, como Ivan Valente. Além disso, votaram pela desfiliação e expulsão do sindicato do “professor” Luizinho (PT-SP).
Além destes atos que devem continuar, é necessário – e essa certamente será a orientação da Plenária – massificar a campanha e os escraches contra os deputados, até para dar um recado explícito aos senadores.

Por isso, os postes de todas as cidades do país devem ser empastelados com as caras e os nomes dos mesmos.

É preciso que fique marcado para toda a população, de forma massiva, quem são aqueles que votaram a favor ou se omitiram diante da Privatização da Previdência Pública. Por isso, o objetivo é colar os cartazes em todos os postes. Os senadores – com este exemplo – pensarão duas vezes antes de se torrar. O poste é um grande instrumento de luta.
Post author Mariúcha Fontana,
da redação
Publication Date