Marinho quer que trabalhador pague bancos em dia

Sindicalista propôs que dívidas dos trabalhadores com bancos sejam descontadas no salário. Febraban foi só elogiosO presidente da CUT propôs reunir empresas e bancos para que seja feito um acordo de desconto em folha das parcelas dos empréstimos concedidos aos trabalhadores.
“Os bancos argumentam que cobram juros altos em razão do risco da inadimplência”, disse Marinho, que acredita no acordo como um passo importante para a redução dos juros reais. Segundo ele, a proposta será fechada por setor de atividade econômica e pode atingir 22 milhões de trabalhadores com carteira assinada no país.
O presidente da Federação dos Bancos, Gabriel Jorge Ferreira, elogiou a proposta “criativa” de Luis Marinho.

“Marinho está mais preocupado com empresários e banqueiros do que com os trabalhadores, que se não pagam suas contas é porque precisam dar comida em casa. Nem os bancos teriam coragem de fazer uma proposta indecente dessas”, criticou o diretor da CUT-SP Francisco de Assis Cabral.

Para Cabral, Marinho deveria se preocupar em mobilizar os trabalhadores para recuperar direitos e salário, que há anos vem sendo corroído.
Post author Jocilene Chagas,
de São José dos Campos (SP)
Publication Date