Manifesto contra a Criminalização do Movimento Estudantil da UFAL

Ministério Público Federal condena estudantes por causa de protesto de 2007. Leia abaixo o manifesto“É com muito pesar que comunicamos à sociedade um triste fato que enquadra como criminosos os estudantes de nossa Universidade Federal de Alagoas.

O ano de 2007 ficou marcado pelos ataques à educação pública e pela resposta da mobilização dos estudantes. Em maio deste mesmo ano, o governo decreta o plano de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI), que faz parte de um projeto global de reforma universitária imposta pelo imperialismo com o objetivo de privatizar a educação.

Estudantes contrários a esse projeto se manifestaram na reunião do Conselho Universitário (CONSUNI), que tinha como pauta a aprovação do REUNI. A reunião ocorreu em 10 de dezembro de 2007. Os estudantes solicitavam ao CONSUNI a realização de amplo debate com a comunidade acadêmica, garantindo a democracia para um assunto que altera significativamente a Universidade Pública deste país. A Reitora Ana Dayse, sem dó nem piedade, mandou os seguranças patrimoniais adentrarem à reunião. O saldo, vários estudantes e professores agredidos e em estado de choque.

Na mesma ocasião, estavam presentes vários estudantes, oriundos de Delmiro Gouveia, que se manifestavam a favor do REUNI. Estavam lá trazidos pelo vereador Edvaldo Francisco (PCdoB) e pela Reitoria da UFAL, munidos de instrumentos musicais para exercer sua manifestação política. Ao passo que os estudantes da UFAL, considerados criminosos e violentos, estavam “armados” com apitos e narizes de palhaços.

Portando toda essa “munição”, os estudantes que se colocaram contra o REUNI, foram acusados de violentos e agressores dos seguranças da UFAL, por parte da reitoria e seu grupo, inclusive pelo Sr. Edvaldo Francisco, que defendeu veementemente a segurança covarde da universidade. Vale ressaltar que os estudantes de Delmiro Gouveia, que também impediram a reunião de acontecer, porém, eram favoráveis ao projeto, não foram (e nem deveriam ser!) punidos por nenhuma instituição.

A Reitoria da UFAL encaminhou uma denúncia ao Ministério Público Federal. O Ministério entendeu que três estudantes (Kyvia Murta, Lee Flôres e Flávio Falcão) são criminosos e que devem ser punidos.

Essa perseguição ao movimento estudantil está no conjunto da repressão que o governo Lula tem feito aos que se posicionam contrários aos seus projetos neoliberais. A cena de violência sobre os estudantes foi vista com freqüência nos episódios de aprovação do REUNI por todo o país.

Os estudantes lutaram pelo Direito à Educação Pública e de Qualidade, e agora precisam lutar pelo direito de se organizar e em defesa da democracia!

  • PELA RETIRADA IMEDIATA DO PROCESSO CONTRA OS ESTUDANTES KYVIA MURTA, LEE FLORES E FLÁVIO FALCÃO!
  • OS ESTUDANTES NÃO SÃO CRIMINOSOS!
  • BASTA DE ATAQUES À LUTA DOS ESTUDANTES DE TODO O BRASIL!
  • EM DEFESA DA DEMOCRACIA E DA LIBERDADE DE ORGANIZAÇÃO ESTUDANTIL E SINDICAL!