Mais de 4 mil metalúrgicos da GM fazem dia de manifestação em defesa dos empregos em São José

Metalúrgicos fazem assembleia na GM na manhã desse dia 10

Foi o início da mobilização denominada ?Janeiro Vermelho? contra as demissões na montadoraOs metalúrgicos da General Motors de São José dos Campos realizaram um dia de forte mobilização em defesa dos empregos nesta quinta-feira, dia 10. Pela manhã, cerca de 4 mil trabalhadores fizeram uma manifestação na porta da fábrica em repúdio aos planos de demissão em massa da montadora.

Foi votada a intensificação da Campanha em Defesa dos Empregos com as ações do “Janeiro Vermelho”. A mesma postura foi assumida pelos trabalhadores em lay-off, na assembleia realizada por volta das 9h, na sede do Sindicato. Após a votação, cerca de 500 metalúrgicos saíram em passeata pelas ruas da cidade, com destino ao Paço Municipal.

Com faixas denunciando a tragédia que as 1.500 demissões causarão à cidade e cobrando a intervenção do prefeito Carlinhos de Almeida (PT) e da presidente Dilma, os trabalhadores buscaram o apoio da população e foram correspondidos. Ao longo da marcha, os joseenses demonstraram solidariedade à luta contra o desemprego.

Ao chegar à Prefeitura, por volta das 11h30, os metalúrgicos se surpreenderam ao encontrar os portões fechados, uma vez que o Sindicato já havia solicitado, em ofício, reunião com o prefeito. Após pressão, uma comissão de trabalhadores foi recebida.

Reunião na Prefeitura
Membros do Sindicato, da CSP-Conlutas e trabalhadores em lay-off foram recebidos por Carlinhos Almeida, pelo Secretário de Desenvolvimento Econômico, Sebastião Cavali, pelo Chefe de Gabinete, Paulo Roitberg e por uma comissão de vereadores, entre eles, a presidente da Câmara, Amélia Naomi (PT).

Os metalúrgicos pediram que Carlinhos intervenha junto à montadora, no sentido de impedir as demissões, bem como busque ações junto ao governo federal para preservar os postos de trabalho.

“Acreditamos que, neste momento, um pronunciamento contundente do prefeito contra os cortes seria um importante apoio político na defesa dos empregos”, afirmou o presidente do Sindicato, Antônio Ferreira de Barros, o Macapá.

Carlinhos manifestou preocupação quando às demissões e afirmou que vai manter uma postura de “procurar mediar as negociações entre a montadora e o Sindicato”. O petista deve reunir-se com a direção da montadora na próxima semana para discutir o assunto.

Também ficou acertada a realização de uma audiência pública na Câmara para debater a questão dos empregos. A vereadora Amélia Naomi comprometeu-se a convocar representantes do Sindicato e da empresa para expor seus argumentos à sociedade.

“Foi importante que Carlinhos tenha recebido os trabalhadores. Mas nossa luta continua, a partir de agora, a guerra contra as demissões será permanente, até que a GM desista das demissões”, afirma o Macapá.

A próxima negociação entre Sindicato e empresa acontece no dia 16 de janeiro.

LEIA MAIS
Metalúrgicos da GM se organizam para enfrentar ameaça de demissões em massa