Lutar contra a Alca também é lutar contra o racismo

Para nós, negros e negras do PSTU, o 20 de Novembro, Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em homenagem à luta de Zumbi dos Palmares, está envolvido por duas questões: a mobilização intercontinental contra a Alca e os descaminhos do governo Lula no que se refere, também, à questão racial

É um engano pensar que a luta contra o racismo não tem a ver com a Alca. A sua implementação irá atingir qualquer trabalhador, gerando ainda mais desemprego e miséria. Contudo, para negros e negras, já historicamente marginalizados, este plano de recolonização imperialista significará um ataque sem precedentes.
A Alca vai significar a entrada indiscriminada de multinacionais e a ampliação do desemprego, que poderá chegar a índices de 40%.

No que se refere à população negra, segundo os dados do mapa da população negra no mercado de trabalho (pesquisa realizada por centrais sindicais de todo o continente), a situação já é muito grave. Nas principais regiões metropolitanas do país, 50% dos desempregados são negros. Em média, a taxa de desemprego entre negros e negras é 40% maior do que aquela verificada entre brancos. Com a Alca, isto vai se agravar.

Outro aspecto refere-se à redução de salários e de direitos, também na mira dos negociadores da Alca. Nesse ponto a população negra já se encontra numa situação insustentável. Em São Paulo, para cada cem reais pagos para um homem não-negro, uma mulher não-negra ganha 62,5 reais, um homem negro ganha 50,6 reais e uma mulher negra recebe apenas 33,6 reais. No que diz respeito à perda de direitos, a história é a mesma. Enquanto a precariedade atinge 27,3% dos não-negros de Salvador, a taxa entre negros chega a 46,2%. No Recife a relação é de 36,8% para 44,7%.

Negros e negraS contra a Alca…e o governo Lula

O 20 de Novembro deve ser um dia de luta contra os planos imperialistas, mas também contra aqueles que, no Brasil, são cúmplices deste projeto. Lamentavelmente, para os que tinham expectativas com o atual governo, Lula está à frente deste processo. Por isso, não só no 20 de Novembro, mas também no dia 21, nos atos em todo o país, estaremos nas ruas exigindo que o governo Lula rompa as negociações e realize um plebiscito oficial sobre a Alca.

Post author Wilson H. Silva,
da Secretaria de Negros e Negras do PSTU
Publication Date