A luta continua até barrar os aumentos das passagens de ônibus no ABC

Manifestação em Mauá é reprimida e novos protestos já foram marcados

Aumentos das passagens de ônibus no ABC (SP) foram de até 20%No dia 12 de janeiro, um episódio marcou a cidade de Mauá no grande ABC (SP): um grande ato com centenas de manifestantes indignados com o aumento das passagens de ônibus, que vem apenas para engordar o lucro dos empresários, parou o centro de Mauá. Diversas organizações, incluindo o PSTU, APEOESP, OAB, ANEL, Movimento Mulheres em Luta, o Movimento Punk, além de estudantes e trabalhadores participaram da manifestação. Os manifestantes convidavam a população de Mauá “vem pra rua vem, contra a tarifa” que passava pelo centro e que respondiam com solidariedade, muitos pararam e se somaram na luta contra o aumento.

Chegando em frente ao terminal, onde se encerraria o ato, os manifestantes foram surpreendidos com a presença da GCM – Guarda Civil Municipal – que contava até com a cavalaria. Não intimidados, os manifetsantes ficaram no Terminal exigindo do prefeito Donizete Braga a revogação imediata deste aumento absurdo. Porém, a resposta da prefeitura foi outra. Com a ajuda da Policia Militar de Geraldo Alckmin e a Guarda Civil Municipal de Donisete Braga, usando spray de pimenta, bombas de efeito moral, balas de borracha, cavalaria e portando armas de fogo (para ameaçar os manifestantes), reprimiram a manifestação, sem que tivesse havido nenhum tipo de provocação por parte dos manifestantes, apenas palavras de ordem e muita indignação. A única coisa que explica tal repressão é o compromisso do Prefeito Donizete, da PM e da GCM de defender o lucro das empresas de ônibus, seja ela Estrela, Barão de Mauá ou Leblon.

Após a violenta repressão policial, os manifestantes voltaram a se reunir na praça ao lado do terminal para continuar a luta contra o aumento. Ao saber da prisão de 3 companheiros foi decidido fazer uma passeata até a Delegacia em solidariedade aos lutadores detidos sem justificativa pela policia. Cantando palavras de ordem como “Abaixo a repressão, policia não” os manifestantes chegaram até o 1ºDP de Mauá. Em frente à Delegacia não foi diferente: mais repressão! Mas os manifestantes só deixaram o local ao ter a confirmação da libertação dos presos políticos, quando encerraram o ato com a certeza de que só a ação direta, a luta da juventude e dos trabalhadores na rua é que vai barrar este aumento em Mauá e em todo o ABC.

A próxima manifestação contra o aumento será um ato Regional Unificado no dia 18, sexta-feira às 17h em frente à Estação Santo André CPTM com passeata até o Consórcio Intermunicipal.

  • Blog do PSTU ABC