Lula deve romper as relações com o governo da Bolívia, já

Os trabalhadores e o povo boliviano protagonizam um enorme levante popular contra o governo pró-imperialista de Sanches Lozada, que, por sua vez desencadeou uma tremenda repressão que já resultou na morte de 86 trabalhadores.

A classe trabalhadora no Brasil, os movimentos sociais e populares e as entidade do movimento estudantil devem prestar sua total solidariedade à luta antiimperialista do povo boliviano. Devemos ir as ruas, promover manifestações em frente a embaixadas e consulados bolivianos no Brasil assumindo a palavra de ordem do povo boliviano “que se vaya Goni” tomando como exemplo as manifestações de solidariedade recentemente realizadas pelos trabalhadores argentinos.

A luta que é do povo boliviano é a mesma luta dos trabalhadores do Brasil e de toda a América Latina contra todas as iniciativas do imperialismo americano em recolonizar o continente através da implementação da Alca, privatizações e dos planos do FMI.

O Brasil é um país politicamente importante da América Latina, por isso os movimentos sociais brasileiros devem exigir uma postura resoluta do governo brasileiro.

O governo Lula deve romper imediatamente as relações diplomáticas com o governo pró imperialista e assassino de Lozada e posicionar-se de modo incondicional ao lado do levante dos trabalhadores da Bolívia apoiando suas reivindicações. Tal posicionamento fortaleceria imensamente a luta do povo Boliviano, causaria grande repercussão na América Latina imporia um duro golpe na política norte americana que já correu em socorro ao governo do “gringo”. Uma postura como essa também serviria como um importante ponto de apoio à luta de todos os povos contra o imperialismo.
É inadmissível que o governo Lula permaneça em silêncio, não se pronuncie incondicionalmente ao lado dos trabalhadores bolivianos para “Que se vaya Goni”, ou ainda, se proponha a intermediar uma “negociação” com os imperialistas.

Post author
Publication Date