Líder de Ocupação é assassinado na Zona Oeste do Rio

Pela apuração imediata e punição aos criminososNo dia 4 de março, por volta das 7h, foi assassinado José Carlos de Moraes, conhecido por todos como Pepé. O corpo foi encontrado em frente à associação da Ocupação Terra do Sol, situada na Zona Oeste do Rio. Mesmo sem identificar o assassino, moradores dizem que Pepé foi chamado por um homem para uma conversa e depois foi achado seu corpo com três tiros, um na cabeça.

Pepé estava à frente da luta das famílias dessa ocupação e havia programado um ato na Prefeitura para exigir o assentamento das famílias da Terra do Sol. A prefeitura estava ameaçando de expulsão os moradores, e o terreno estava sendo cogitado para empreendimentos especulativos.

Pepé era coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST). Participava do movimento desde sua fundação no Rio de Janeiro. Ele organizou a ocupação Paulo Freire com 700 famílias em 1998, a Ocupação Che Guevara em 1999 (ambas assentadas em 2001 em Sepetiba), além de realizar várias lutas, como a marcha da Zona Oeste ao Palácio das Laranjeiras, onde seguiu ao lado de outros companheiros por três dias a pé para dar visibilidade ao movimento e alertar a população para a luta em defesa de moradia.

Este crime bárbaro não é um problema individual ou da Ocupação Terra do Sol, é parte da perseguição e criminalização que sofre os movimentos sociais não somente no Brasil, mas em todo o mundo. O companheiro foi morto por arma silenciosa após seguir lutando em defesa das famílias do local, era atuante e estava articulando a resistência na Zona Oeste contra a expulsão das famílias ocupantes.

O enterro foi nesta quinta-feira, às 12h no Cemitério de Santa Cruz, Zona Oeste do Rio. Convocamos todas as entidades e movimentos da Conlutas, demais organizações, movimentos sociais e ativistas a rechaçar esse crime e todas as perseguições sofridas pelos movimentos sociais.

Enviamos nosso grande pesar aos familiares e companheiros de luta. Somos solidários à luta por moradia. O companheiro tombou defendendo os interesses dos trabalhadores e ocupantes da Terra do Sol. Seguiremos presentes na nossa luta diária em defesa de terra, moradia e emprego para todos. Transformaremos nossa indignação em luta!

  • Pela apuração e punição dos criminosos!
  • Contra a criminalização dos movimentos sociais!

    LEIA, ABAIXO, A NOTA DA CONLUTAS
    Companheiro Pepe, presente! Na luta por moradia, até o socialismo!

    A Conlutas vem expressar o mais profundo pesar pela morte do companheiro José Carlos de Moraes, o Pepe, líder da Ocupação Terra do Sol, na Zona Oeste do Rio e coordenador do MTST.

    Aos familiares e companheiros em luto: recebam a nossa solidariedade. A nossa indignação se transforma em luta, para que, com todas as entidades comprometidas com a classe trabalhadora, exijamos do governo do Rio e autoridades, a apuração imediata deste crime contra a nossa classe e a condenação dos mandantes e dos executores.

    Este é mais um assassinato entre outros, que vem ocorrendo no Rio e em todo o país, seja no campo ou na cidade. Aqueles que nos exploram, nos tiram de nossas moradias, são também os nossos assassinos. Não esqueceremos deste acontecimento. As nossas lágrimas se tornarão em tormenta para os poderosos. Não vamos nos calar!

    Companheiro José Carlos de Moraes, sua morte não será em vão. Seguiremos lutando por moradia ao lado dos movimentos sociais e por uma sociedade verdadeiramente socialista.

    Este grito de dor se transformará em grito de liberdade.

    Companheiros do MTST, da Ocupação Terra do Sol e familiares, contem conosco.

    Companheiro Pepé, presente!

    Até o socialismo, sempre!
    4 de março de 2009