‘Indignados’ na Espanha preparam sua maior manifestação

Um dos grupos que marcham até Madri

Marchas saem de diversos pontos do país para convergirem em Madri no próximo dia 23, sábadoMilhares de jovens e trabalhadores espanhóis mobilizados contra os efeitos da crise e as reformas do governo preparam para o próximo dia 23, sábado, o início da maior mobilização desde o começo da onda de protestos. Centenas de jovens estão agora marchando para Madri.

Conhecidos como “indignados”, os manifestantes formados, sobretudo, por jovens sem perspectiva de futuro, lutam contra o desemprego, a informalidade, os baixos salários e os pacotes de ajuste fiscal impostos pelo governo de Zapatero para debelar a crise. O desemprego, que chega a 20% no país, supera os 40% entre os mais jovens.

Oito grupos de “indignados” marcham até Madri, percorrendo um caminho de até 500 km. Algumas pessoas estão marchando há mais de um mês, no que está sendo chamada de “marcha popular indignada”. Alguns caminham a pé, outros vão de bicicletas, ou de ônibus mesmo. O importante é que, assim, o movimento se expande para além dos centros de Madri e Barcelona, percorrendo várias cidades do interior do país.

O ponto de chegada dos manifestantes será a Praça Puerta del Sol, local que se tornou o centro dos protestos na primeira grande marcha, em 15 de maio. A jornada marcou o nome do movimento dos “indignados” como 15-M. Outra grande mobilização do movimento foi no último dia 19 de junho, quando 300 mil pessoas foram às ruas de todo o país.

Impulsionado por jovens, a mobilização foi se radicalizando e ganhando a adesão de trabalhadores e setores populares, motivando a formação de assembleias permanentes. O grande acampamento que se concentrava na Puerta del Sol se desdobrou em inúmeras assembleias nos bairros da cidade.

Os “indignados” também vêm impedindo o despejo de famílias incapazes de arcar com as hipotecas das casas. Nesse dia 19, cerca de 30 mil foram às ruas em Barcelona. O próximo dia 23 de julho em Madri deve se tornar o novo principal marco do movimento que, inspirado pela revolução egípcia, vem se tornando referência para as mobilizações na Europa contra a crise, como na Grécia.

Atos e debates
Ao se aproximarem de Madri, os manifestantes devem confluir em cinco grandes colunas. Os ativistas devem chegar no sábado e, para a tarde de domingo, está organizada uma grande manifestação. Segunda e terça, dias 25 e 26 de julho, está sendo preparada uma jornada de debates que, entre outras coisas, definirá os rumos do movimento 15-M.

ACOMPANHE

  • Blog da Marcha Popular Indignada