Hoje, PSTU mostrará na TV o que poderia ser feito com o dinheiro da dívida

Nesta quinta-feira, dia 26 de janeiro, às 20h30, o PSTU utilizará seu programa de TV semestral para denunciar a farsa do governo, de que o pagamento antecipado ao FMI seria um gesto de ruptura com o fundo. Isso não é verdade e o PSTU apresentará o valor que Lula pagará em juros e amortizações da dívida em 2006: 272 bilhões de reais. Com esse valor, seria possível assentar 4,5 milhões de famílias, construir 6 milhões de casas, subir o salário mínimo para R$ 1.000. Ainda assim, ainda sobrariam 40 bilhões de reais para investir em outras áreas. O governo Lula não só não rompeu com o FMI, como garantiu mais do que nunca a submissão do país ao imperialismo.

Outra questão que será tema da propaganda é o salário mínimo de fome de R$ 350 acordado entre as centrais sindicais e o governo Lula. O ministro do Trabalho e ex-presidente da CUT Luiz Marinho, que assumiu o ministério afirmando que sua principal tarefa seria garantir um salário mínimo digno, mostrou a que veio. O mísero reajuste no salário mínimo contrasta com os U$ 15,57 bilhões pagos antecipadamente pelo governo Lula ao FMI.

O programa ainda abordará as eleições de 2006, denunciando as semelhanças entre PT e PSDB e propondo uma frente classista, socialista e de luta para as eleições.

Após sua exibição na TV, o programa estará disponível no Portal do PSTU. No rádio, o programa será exibido às 20h.