Estudantes da UERJ ocupam Reitoria em defesa da Universidade

A universidade pública se nega a morrer!Estudantes da UERJ ocupam, desde a noite do dia 10 de setembro, a reitoria da Universidade Estadual do Rio de Janeiro. O movimento reivindica uma universidade pública gratuita e de qualidade, protesta contra o corte de verbas e exige a destinação mínima de 6% do orçamento estadual para a universidade. Recentemente, houve um incêndio e a queda de um bloco de concreto do telhado do campus maracanã da Universidade, devido à falta de manutenção.

O governador Sérgio Cabral (PMDB) se nega cumprir a destinação dos 6% do orçamento para a UERJ e corta verbas da Universidade. O atual reitor Ricardo Vieiralves (PT) não se coloca ao lado do movimento em defesa da Universidade e apóia incondicionalmente a política de desmonte da Universidade aplicada pelo governo Sérgio Cabral. Os dois aplicam a política das parcerias público-privada para submeter à universidade as diretrizes do mercado, privatizando o ensino, a pesquisa e a extensão.

A ocupação foi decida em duas assembléias – uma no início da tarde e outra à noite – que reuniram mais de 800 estudantes definindo pela participação dos estudantes em uma greve unificada com professores e funcionários técnico-administrativos que defenda a UERJ, lute pelos 6% e incorpore na pauta de reivindicação as bandeiras dos estudantes.

Na segunda-feira dia 15 de setembro começa a greve dos professores da UERJ e os funcionários têm indicativo de greve para o dia 18 de setembro. No dia 16 de setembro a comunidade da universidade vai participar de uma passeata unificada dos servidores públicos estaduais no centro do Rio.

Envie moção de apoio à ocupação em nome de seu sindicato ou entidade para:

Comissão de Ocupação da UERJ
Tel.: (21) 2228 4748
E-mail: ocupacaouerj@gmail.com

MODELO DE MOÇÃO:

Moção de apoio aos companheiros na ocupação da reitoria da UERJ
Vimos por meio desta, expressar nossa adesão à luta dos estudantes que se encontram ocupando a Reitoria da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Entendemos que esta ação não é só dos alunos da UERJ, mas de todos os que, inspirados pelos movimentos de ocupação de reitorias de 2007 (USP; UNB…), reivindicam uma Universidade pública, gratuita e de qualidade. Este é o interesse de todos aqueles que sofrem com o ataque e descaso a educação por parte dos governos estaduais e federais.

Os estudantes da UERJ vivem uma situação de crise. Nos últimos anos houve casos como o incêndio em 2007 e a queda de um bloco de concreto da rampa do 12º andar, em 2006, e o crescente corte do orçamento da universidade.

Diante de tudo isso, mais de 500 estudantes se reuniram em assembléia, na qual decidiram apoiar a greve, com a exigência de que seus interesses também sejam atendidos. A luta é pelo adiamento do vestibular até a garantia de mais verbas para universidade, do bandejão publico, gratuito e de qualidade, das bolsas compatíveis com as necessidades dos alunos, creche universitária e do alojamento, do ônibus inter-campi, da abertura de concurso publico para professores, e pelo aumento da oferta de vagas para o aproveitamento de estudos em todas as unidades da UERJ.

Convocamos outras entidades a apoiarem a luta dos companheiros da UERJ, neste momento histórico não só para a Universidade, mas para todo o movimento estudantil nacional.