Encontro debate necessidade de movimento feminista de classe

O segundo dia do Encontro Nacional de Mulheres da Conlutas começou com a mesa sobre concepção de movimento feminista, reunindo Ana Rosa Minutti, da Secretaria de Mulheres do PSTU, Silvana, da FOS e do Movimento das Mães Sem Creche, Maria Inês, do Andes, e Isabel, do Sindsprev-RJ.

Segundo Ana Rosa, o debate foi muito importante, resgatando a importância da construção de um movimento classista de mulheres. “Discutimos a concepção dos movimentos feministas desde a década de 80 até hoje”, ressalta. “As organizações feministas que surgiram na década de 80 se construíram em lutas que inclusive culminaram na formação da CUT e do PT, mas elas, que se originaram com uma concepção de classe, foram cooptadas pelo governo Lula”, denuncia Ana Rosa.

Nesse cenário, organizações feministas como a Marcha Mundial de Mulheres não só não lutam contra os ataques do governo Lula como ajudam a elaborar políticas para o governo, “jogando ilusões para a mulheres trabalhadoras de que seria possível acabar com a opressão nos marcos do capitalismo e junto com esse governo” , afirma.

Para Ana, o Encontro de Mulheres da Conlutas discutiu a “necessidade de se organizar pela base e nas categorias um novo movimento classista, apontando um segundo encontro, uma plenária de mulheres no congresso da Conlutas para lançar na base a discussão sobre um movimento classista” .

Plenária GLBT supera expectativas
Na manhã do dia 20 também foi realizada uma plenária GLBT (Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros), que superou as expectativas e reuniu 125 pessoas, de 44 entidades e de 12 estados. A plenária, que se estendeu durante a tarde, discute a opressão e a violência contra homossexuais, e a luta de classe com ela.

Grupos pela tarde
Pela tarde os participantes se reúnem em grupos de discussão de 11 diferentes temas: Mulher no Trabalho; Mulher nos Movimentos Sociais/a Mulher no Campo; Descriminalização e Legalização do Aborto; Violência contra a Mulher; Mercantilização do Corpo da Mulher e Formação Cultural e Ideológica das Mulheres na Sociedade Capitalista; A Mulher no Movimento Sindical; A Mulher Lésbica; A Mulher Jovem; A Mulher Negra; Gênero e Classe.